TV Mundo Maior Influências Espirituais e suicídio - Alma Querida

Influências Espirituais e suicídio – Alma Querida

Influências Espirituais e suicídio – Alma Querida


Programas:
Mundo Maior em Debate
Data: 03/05/2018
Temas: Programas

Influências Espirituais e suicídio – Alma Querida

Influências Espirituais e suicídio. Influências Espirituais podem levar ao suicídio? O ato de atentar contra a própria vida é o ápice do desespero e depressão. Muitas pessoas têm em mente que cometendo o ato, irão fugir dos seus problemas. Quando entram no mundo espiritual, percebem que não extinguiram suas consciências e nem aflições. Mas como podemos aprender a lidar com as nossas angústias? Descubra agora no Alma Querida.

Parte 1

 

Parte 2

Para saber mais sobre outros assuntos, leia:

Como o tratamento espiritual pode nos libertar dos obsessores?

Existe literatura muito vasta sobre questões mediúnicas e obsessões não apenas no meio Espírita, no âmbito das religiões ou da filosofia, como também dentro da ciência, no campo da psicologia, medicina, em se tratando também das terapias complementares, como também dentro da física clássica e da física quântica.

Independentemente da abordagem que se utilize para a compreensão das obsessões, seus tratamentos e cura, resguardadas as especificidades de cada área de conhecimento, o fato é que mudam-se terminologias, conceitos, posturas, premissas e ações e, no entanto, estamos diante de acontecimento que chega a ser “lógico/matemático” em sua mecânica de funcionamento.

É certo que para abordar o âmbito dos tratamentos e curas das obsessões, precisamos, antes, estudar e entender suas causas. Então, o questionamento inicial deve caminhar para: – “O que é uma obsessão e como ela acontece?” –

Segundo A. Kardec no Livro dos Médiuns:

“Trata-se do domínio que alguns espíritos (atrasados nas escalas evolutivas), podem adquirir sobre certas pessoas. A obsessão apresenta características diversas, resultante do grau de constrangimento e da natureza dos efeitos que produz.”

Para entender “como” acontecem as obsessões precisamos recorrer à Psicologia, à Medicina e à Física, conforme as implicações de cada situação. Sabemos que o pensamento age e reage na emissão de ondas eletromagnéticas, que desencadeiam movimentação de partículas atômicas e subatômicas no interior das células do corpo físico e também no campo emocional do indivíduo que, por sua vez, alavancam ações e comportamentos no ambiente.

Então, a ação e reação do pensamento traz para o emissor o resultado daquilo que ele (por escolha, mesmo que inconsciente), arremessa de si próprio, determinando padrões de ondas que entram em sintonia com ondas de mesmo teor, de mesma frequência vibratória.

Toda “onda” contém informação. Consequentemente, se eu tenho um padrão mental que emite uma onda cuja informação é de “vitimismo”, por exemplo, estarei, então, fornecendo condições para que outras pessoas não apenas me tratem sempre como menos, como incapaz, como também darei acesso a que usem e abusem de mim, já que sou mesmo a vítima do mundo, das situações…. um desafortunado. Existe uma relação direta entre o pensamento emitido e a contrapartida, a resposta. Daí conclui-se que, as obsessões ocorrem porque o obsessor utiliza a “minha” energia disponível para isso, para me obsedar.

Se eu pretendo me libertar de qualquer domínio em qualquer área, seja física, mental, emocional, espiritual, é preciso, antes de mais nada conhecer as causas e, a causa é sempre um padrão mental subjacente. Isso implica não apenas os tratamentos convencionais de passes e água magnetizada nas Casas Espíritas, mas a questão do “autoconhecimento”, é condição “sine qua nom” para o sucesso de qualquer terapêutica que seja aplicada.

É preciso romper as cadeias psiconeurais, moleculares, que sustentam os vínculos obsessivos. Sem “autoconhecimento” e “autoresponsabilidade”, qualquer tratamento torna-se transitório, pois que a sustentação, no obsedado, continuará existindo. Ter conhecimento a meu próprio respeito, saber como eu funciono, é expandir minha consciência assumindo inteira responsabilidade pelas mudanças que eu preciso operar em mim mesmo para uma vida mais plena. Isso é o que garante o sucesso de qualquer tratamento, a qualquer tempo.

Comments

comments


WhatsApp
Clique aqui