TV Mundo Maior Desabamento de prédio

Desabamento de prédio no centro de São Paulo – Visão Espírita

Desabamento de prédio no centro de São Paulo – Visão Espírita


Programas:
Boletim Espírita
Data: 02/05/2018
Temas: Programas

Desabamento de prédio no centro de São Paulo pode nos ensinar algo? Esta semana, um incêndio atingiu um o Edifício Wilton, de 24 andares, no centro de São Paulo. O que culminou no seu desabamento. O prédio foi evacuado a tempo, mas um homem que estava ajudando no resgate, morreu. As pessoas que habitavam o prédio estão passando por uma expiação? É possível tirar algum aprendizado mesmo em situações tristes como essa? O que tragédias podem nos ensinar? Descubra agora no Boletim Espírita.

Desabamento de prédio no centro de São Paulo – Visão Espírita

Para saber mais sobre o assunto, leia:

Tragédias: Um aprendizado coletivo?

A doutrina espírita nos explica que a morte é apenas um acontecimento biológico e que os espíritos que animam os corpos materiais são imortais e tem sua existência além desta vida.

Estamos encarnados no planeta Terra porque passamos pelo processo de provas e expiações, que são de forma simples os aprendizados que nos farão crescer moralmente visando a evolução de nosso espírito.

Muitas vezes a nossa encarnação atual servirá para aprendermos a entender os erros que cometemos em vidas passadas.

Então podemos perceber que esses resgates acontecem desde o nosso nascimento até nossa morte.

Alguns desses resgates representam aprendizados coletivos de espíritos que tiverem erros semelhantes e serão reunidos em encarnações contemporâneas que ensinarão sobre essas faltas passadas.

Mas esse aprendizado é chamadas de Morte Coletiva e são elas as responsáveis então pelo resgate em massa, que geralmente acontecem devido a tragédias marcantes que ficam conhecidas mundialmente. Contudo esses acontecimentos são planejados pelo plano espiritual e consentido pelos espíritos envolvidos antes de reencarnarem. Os Espíritos Superiores deixaram a seguinte explicação à

Allan Kardec ainda fala sobre os motivos dos flagelos que vive a humanidade e que talvez não entendemos:

“ Para fazê-la Progredir mais depressa. Já não dissemos ser a destruição uma necessidade para a regeneração moral dos Espíritos, que a cada nova existência, sobem um degrau na escala do aperfeiçoamento?”

 

Comments

comments


WhatsApp
Clique aqui