Relacionamento Abusivo

Pelo menos uma vez na vida você já ouviu falar de relacionamento abusivo. E a primeira coisa que vem à mente é agressão física, porém essas relações são caracterizadas também pelo jogo de controle (poder), ciúmes, abstinência sexual, frieza e chantagem emocional.

Este tipo de relacionamento ganhou destaque nesta semana, após a expulsão de Marcos Harter, cirurgião plástico, do Big Brother Brasil da TV Globo. O seu relacionamento com a gaúcha Emilly Araújo foi marcado por muitas brigas que terminavam em gritos, apertões e terror psicológico, porém foi a última briga, em que Marcos encurralou Emilly e começou a gritar em seu rosto que ganhou as redes sociais, os internautas passaram a pedir a expulsão do participante.

As imagens que ganharam a internet chegaram até a delegada Márcia Noeli, diretora da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher, do Rio de Janeiro, que disse que era um caso de violência doméstica que poderia ser enquadrado na Lei Maria da Penha.

A diretora pesquisou e achou vídeos em que Emilly reclamava de dores e que seu braço estava roxo, após Marcos ter apertado. Após analisar as imagens, Márcia Noeli levou o caso para a delegada Viviane da Costa que abriu o inquérito.

Em entrevista ao programa Juventude Maior, da Rádio Boa Nova, a psicanalista e analista comportamental Julia Blanque, disse que o termo “abuso” significa exagero e que toda relação abusiva deixa de ser saudável quando há uma perda do bom-senso e do equilíbrio.

Para Julia, a pessoa pode se tornar abusiva, por presenciar situações dentro da própria casa que pode levar para seus relacionamentos, por exemplo, ouvir muitos xingamentos.

“Quando a pessoa fala muitos palavrões com amigo ou dentro de casa, como seria na vida afetiva? Ela vai te xingar em casa? Existe um exagero, uma maneira de criticar”, disse a psicanalista.

E por presenciar situações como estas, o companheiro(a) pode xingar o outro, tornar-se autoritário, indiferente na relação, além de usar as chamadas “meias verdades” e como consequência todas estas situações vão causando desconfiança, desgaste, etc. Porém, há muitas pessoas que ficam com medo de sair do casamento | namoro por ter medo da reação da outra pessoa, medo de ficar sozinha e também por chantagens emocionais.

Na entrevista, Julia disse ainda que é possível identificar um relacionamento abusivo da seguinte maneira:

“Às vezes estamos com pessoas que nos menosprezam, nos ridicularizam, para quem está de fora, não é normal, mas a pessoa não está na relação à toa”.

Ainda de acordo com a psicanalista a pessoa que está sendo menosprezada normalmente é carente. E também muitas vezes se sente culpada, como é o caso da Emilly no BBB. Ela ficou se questionando o porque Marcos havia sido expulso e ainda se sentia culpada por conta disso.

Além disso, quem está de fora sempre faz a mesma pergunta: Porque ela está com ele? Será que esta troca vale a pena?

“Muitas vezes a pessoa se relaciona por questão financeira, por exemplo, para ter lazer (cinema, restaurante), disse Julia”.

Para entramos em um relacionamento pensamos em um projeto de vida, precisamos notar se estamos dentro do chamado “eu ideal”, que seria aquilo o que você deseja. Além do mais, é preciso ter empatia, saber compartilhar a sua vida com o companheiro.

“Uma relação precisa ter várias áreas, não somente o carinho, é preciso que ambos gostem das mesmas coisas (filme), ou seja, é preciso ter pontos em comum, ensina Julia”.

Lembre-se, nenhum relacionamento começa abusivo, por isso, é importante ter transparência no início da relação.

Fonte do texto: EL País

Fonte da imagem: http://www.oquequeha.com.br

Para saber mais sobre o assunto, ouça o programa: Juventude Maior que aborda o tema. 

*Este texto é de responsabilidade de seu autor. Não representa necessariamente a opinião da TV Mundo Maior.

 

Escrito por: Juliana Chagas

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

deixe um comentário

WhatsApp chat