Porta Estreita

“Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que leva à perdição, e muitos são os que entram por ela. Que estreita é a porta, e que apertado o caminho que leva para a vida, e que poucos são os que acertam com ela!“ (Mateus, VII:1 3 e 14)

“E perguntou-lhe alguém: Senhor, são poucos, então, os que se salvam? E ele lhe disse: Porfiai por entrar pela porta estreita, porque vos digo que muitos procurarão entrar e não o  poderão. E quando o pai de família tiver entrado e fechado a porta, vós estareis de fora, e começaram a bater à porta, dizendo: Abre-nos, Senhor! E ele vos responderá, dizendo: Não sei de onde sois. Então começaremos a dizer: Nós somos aqueles que, em tua presença, comemos e bebemos, e a quem ensinaste nas nossas praças. E ele vos responderá: Não sei de onde sois; apartai-vos de mim, todos os que obrais a iniquidade. Ali será o choro e o ranger de dentes, quando virdes que Abraão, Isaac e Jacó, e todos os profetas, estão no Reino de Deus, e que vós ficais fora dele, excluídos. E virão do Oriente e do ocidente, e do Setentrião e do Meio-Dia, muitos se sentarão à mesa do Reino de Deus. E então, os que são os últimos serão os primeiros, e os que são os primeiros serão os últimos.” ( Lucas, XIII: 23 a 30 )

Se entendermos essas alegorias de Jesus ao pé da letra, esse Deus, apresentado como “o pai de família” não se enquadra no Deus-Pai, no Deus-Amor, trazido pelo próprio Jesus.

O contexto geral dos ensinos de Jesus nos leva a compreender, nessas frases, a justiça e o amor do Pai em relação à sua criação, mostrando-nos a situação geral da atual humanidade, ainda mais próxima da animalidade do que da angelitude, pela sua imperfeição, como disse Emmanuel.

Por isso, é o homem tão atraído pelas sensações materiais, percebidas através dos sentidos físicos, confundindo as necessidades do corpo com as necessidades do Espírito, ou, iludindo-se na busca de satisfazer essas últimas, entregando-se às satisfações físicas e materiais. Por isso também, é estreita a porta da salvação, da libertação da necessidade de permanecer na matéria, a fim de penetrar nos planos mais elevados, moradia permanente dos Espíritos que transcendem a si próprios.

(Fonte: Cebatuira)

Para saber mais sobre o assunto, assista:

Qual diferença entre quem busca porta larga ou estreita? – Presença Espírita na Bíblia

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

leave a reply

WhatsApp chat