Por que devemos perdoar 70 vezes 7?

Por que devemos perdoar 70 vezes 7Por que devemos perdoar 70 vezes 7?

Quantas vezes não falamos: “Perdoei tal pessoa, porém, não quero contato com ela?”. Será que realmente nós perguntamos? Não! Apenas guardamos mágoas, ressentimentos. 

A doutrina espírita nos ensina que temos dificuldades em perdoar porque somos espíritos imperfeitos. E ainda, a partir do momento em que nos tornamos vítimas, a dor parece ficar incurável e maior do que aquela que podemos provocar no outro. Por isso, temos que começar a reconhecer nossos erros e nos colocarmos no lugar do outro, para que assim, consigamos perdoar. 

Allan Kardec, em O Evangelho Segundo o Espiritismo, nos apresenta a seguinte passagem:

O apóstolo Paulo afirma: Perdoar os adversários é pedir perdão para si mesmo. Perdoar aos amigos é dar-lhes prova de amizade. Perdoar as ofensas é mostrar que se tornou melhor do que antes.

Já em Mateus 18:21-22 encontramos:

Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou:

Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até sete vezes?

Jesus respondeu: ‘Eu digo a você: Não até sete, mas até setenta vezes sete’.

Qual o significado desta passagem? Por que devemos perdoar 70 vezes 7?

Esta passagem nos ensina que não devemos sustentar o erro do outro, devemos ter o dom de perdoar. E ainda, devemos seguir com a cabeça erguida, respeito e com autoestima

Já de acordo com Maria Izilda Netto no programa Sem Dúvida, quando  Jesus responde a Pedro que devemos perdoar não sete vezes, mas 70 vezes. Ele (Jesus) enfatizou que não iremos construir nada de bom na sociedade, enquanto não aprendermos a relevar o próxima em seus deslizes, erros e equívocos. 

E completou: 

Quando conseguimos perdoar, nós conservarmos a nossa integridade, com isso, o nosso equilíbrio fica bem estruturado. Evitando assim, atritos e desgastes que nos perturbam e nos desequilibram. 

Quais sãos os benefícios do perdão?

Além de trazer diversos benefícios para a saúde, o perdão nos liberta da ira, do orgulho, da vaidade, do rancor. 

Já de acordo com Maria Izilda Netto, o perdão não beneficia apenas aquela pessoa que errou conosco. Ele beneficia antes de nada e de forma mais intensa a nós mesmos. 

O mais beneficiado pelo perdão é quem perdoa. Pois, ele fica livre deste compromisso de estar ligado a aquele que o prejudicou. 

O que significa realmente perdoar? 

Ainda no programa, Maria Izilda, esclareceu:

Perdoar na realidade é: compreender as motivações do outro que nos causou mal. Isso não significa compactuar com o mal e não fazer nada para evitá-lo e até mesmo deixar impune quem o pratica. 

A comunicadora completou:

O melhor mesmo é que nós consigamos escolher o verbo “relevar”, ao invés do verbo “revidar”.  O melhor ainda é não ter o que perdoar, e sim, ter a fórmula chamada: compreensão. Afinal, ninguém é definitivamente mal, somos todos filhos de Deus. 

Para finalizar, 

A compreensão quando bem entendida, bem praticada dispensa o perdão. Quem compreende não se ofende. Era o Jesus fazia. Então, que nós sigamos o Mestre e perdoemos não 70 vezes, mas 70 vezes 7, Maria Izilda Netto.

 

 

Escrito por Juliana Chagas

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

Faça uma doação pelo site: feal.colabore.org

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

leave a reply

WhatsApp chat