Passividade espiritual: o que se deve fazer? – Manhã Boa Nova

O Manhã Boa Nova da última quinta-feira (20) falou sobre como podemos definir se um médium é consciente, inconsciente ou semiconsciente. Estudamos as seguintes questões: como desenvolver a psicofonia? Nos cursos espíritas todos podem desenvolver a psicofonia? Na psicofonia o médium pode mudar de voz? Se algum assistido começar a dar passividade em reuniões públicas, o que se deve fazer? O que é xenoglossia? E mais: Eliete Ribeiro entrevistou o Dr. Daniel Meirelles, que falou sobre hérnia de disco. Comentários de Edson Figueiredo de Abreu e Elaine Farina, além de entrevista com Marisa Rita Riello Deppman e Maria Lúcia Gallinaro.

Leitura complementar

Segredos e dicas sobre ser Médium

Em princípio o termo formação de médiuns me parece um pouco paradoxal, mais ou menos ostensiva, mas todos temos mediunidade. Mediunidade, como o próprio nome sugere é a capacidade que temos de estarmos mediando.

O médium aproxima os encarnados dos desencarnados e é responsável pela comunicação entre os dois planos. Ao falar em formação de médiuns estudamos a mediunidade, ou, a educação da mediunidade, curso este bem ostensivo nas casas espíritas.

O médium já nasce médium. Assim, a casa espírita vai educar essa mediunidade para que se obtenha o controle numa ferramenta muito preciosa que Deus colocou em nossas mãos.

Ao controlá-la, estamos afiando uma ferramenta muito poderosa no meio espírita para que o médium se coloque a serviço da seara do bem.

Tipos de mediunidades mais comuns:

*Psicofonia (através da fala)

*Psicografia (através da escrita)

*Pintura mediúnica (Através da pintura)

*Psicometria (leitura de objetos)

 

Quais fatores mais implicantes na mediunidade?

O orgulho e a vaidade são os parâmetros que mais afetam o médium; pois através dessas mazelas que são inerentes do ser que o médium encontra maior entrave para o desenvolvimento da mediunidade. Assim, quanto mais elevação moral tem o médium, mais eficaz será o resultado de seu trabalho.

 

É preciso estudar para ser médium?

Não. Como falamos, todos temos mediunidade independente do estudo da mesma. A questão está no controle e uso ou mau uso desta ferramenta.

 

Como controlar mediunidade numa criança?

A criança pode sim ter mediunidade ostensiva, e, se isso estiver acontecendo, é necessário trabalho intensivo para que a mesma tenha controle.

A evangelização infantil aplicada em algumas casas espíritas têm sido o melhor resultado com crianças. Esse controle não é fácil, haja vista que a criança ainda necessita tato para se alcançar um bom resultado.

 

O que fazer com o adulto quando não tem o estudo mas a mediunidade está aflorada?

O controle também requer muitos cuidados. Algumas casas espíritas já os colocam imediatamente para exercer a função de tarefeiros diretos em equipes de desobsessões e acompanham o resultado prático, bem como o estudo necessário. Já outras trabalham nesses casos fazendo duas frentes: estudo e experimentação.

É através da experimentação que o médium vai aprender o que vem dele ou não. Assim, ele equilibra para que aos poucos consiga o equilíbrio e colocar a mão na “ferramenta” mais preparada.

A mediunidade pode se transformar numa ferramenta perigosa se não for usada para o bem.

Os bons espíritos se afastam dos médium que estiverem fazendo maus uso, deixando os a mercê da própria sorte e entregues aos “leões”.

Como falamos acima a vaidade e o orgulho são os parâmetros que mais levam os médiuns a falirem  em seus trabalhos, dando “brechas” para que os espíritos inferiores ou das trevas se apoderem do mesmo chegando ao ponto de subjugação, estágio este que o médium perde completamente o domínio de si e passa a ser dirigido por esses espíritos de terceira ordem na escala espírita sem compromisso nenhum com o bem.

Em resumo, mediunidade é um caso muito sério, por isso para se dizer médium é necessário o estudo teórico e prático para não cair nas “garras” de falanges de espíritos malfeitores.

Texto publicado em  17 de setembro de 2018. 

0

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

deixe um comentário

WhatsApp chat