Visão espírita: culturas que oprimem mulheres – Manhã Boa Nova

Visão espírita sobre as culturas que oprimem as mulheres. Participações de Ildo Rosa e Adriana Fukuda em nossos estúdios falando sobre a mulher na dimensão espírita e na transformação do planeta, como os desempregados podem manter o ânimo e o otimismo para continuar a procurar um emprego, entre outros assuntos. Tivemos a coluna “Minutos com Você”, a divulgação da Blitz FEAL especial de aniversário e muito mais! Apresentação: Claudio Palermo e Vanessa Cavalcanti.

Feminismo e Espiritismo

Com o fervor da Revolução Francesa os ideais de igualdade, liberdade e fraternidade se estenderam nas sociedades pelo mundo e trouxeram reflexões e a possibilidade de derrubar, não apenas as monarquias absolutistas, mas também combater ideologias, até então imutáveis.

Séculos antes, a reforma protestante deu início à questionamentos de dogmas absolutos impostos pela igreja católica. Tempo depois a Revolução Francesa e o Iluminismo prosseguiram com tempos de razão, desenvolvimento científico e filosófico.

Em meados do século XIX, através da codificação de Allan Kardec, a Doutrina dos Espíritos ou Espiritismo, elucidou a moral religiosa, fundindo filosofia, ciência e religião.

E o por quê desse resumo histórico? Para dizer que Deus não é pai, pois, segundo a questão de número 1 do Livro dos Espíritos, “Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas.”

O machismo é um fato histórico, e reforçado por governos e religiões, que por séculos escravizaram as mulheres como objeto  limitando-as em tarefas domésticas, a satisfazer as vontades dos homens e procriar. Enquanto isso os homens eram líderes políticos e religiosos detentores de conhecimentos e direitos proibidos para as mulheres.

A luta para combater esses pensamentos bárbaros e retrógrados se estendem até os dias de hoje. Na questão 817, também do Livro dos Espíritos, a espiritualidade superior ressalta que assim como a inteligência e a faculdade de progredir, os direitos devem ser os mesmos para ambos, homens e mulheres.

Ainda no item Igualdade dos direitos do homem e da mulher, a questão 822 diz que:

“…A emancipação da mulher acompanha o progresso da civilização. Sua escravização marcha de par com a barbárie. Os sexos, além disso, só existem na organização física. Visto que os Espíritos podem encarnar num e noutro, sob esse aspecto nenhuma diferença há entre eles. Devem, por conseguinte, gozar dos mesmos direitos.”

Para ler mais clique aqui. 

 

m

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

deixe um comentário

WhatsApp chat