Doutrina espírita sobre os direitos humanos – Espírito de Mulher

Os direitos humanos são direitos inerentes a todos os seres humanos, independentemente de raça, sexo, nacionalidade, etnia, idioma, religião ou qualquer outra condição. Mas quais são as regras básicas para que possamos exercitá-los em nosso dia a dia? Não seriam diretamente relacionados aos ensinamentos de Allan Kardec? Confira agora no Espírito de Mulher.

 

Texto relacionado: O Livro dos Espíritos – Igualdade dos Direitos da Mulher

O Livro dos Espíritos é uma das obras codificadas pelo pedagogo Allan Kardec. Porém, o professor teve muita ajuda feminina para concluir a sua missão.

Sua esposa, Amélie Gabrielle de Lacombe Boudet Rivail, é uma das principais mulheres. Ela esteve ao lado de seu marido incentivando e apoiando.

As irmãs Fox, Senhora Plainemaison e Aline Carlotti, são outros nomes de mulheres que fizeram parte da construção do Espiritismo. Com isso, encontramos então no Livro dos Espíritos, respostas da Espiritualidade Superior acerca da igualdade de entre homens e mulheres.

O Livro dos Espíritos

Além disso, no capítulo Da lei de igualdade é possível compreender a igualdade entre as mulheres e os homens.

  1. São iguais perante Deus o homem e a mulher e têm os mesmos direitos?

“Não outorgou Deus a ambos a inteligência do bem e do mal e a faculdade de progredir?”

Além disso, a diferença que há entre homens e mulheres, é a organização física. Os Espíritos não possuem sexo, e o que determina sua encarnação como mulher ou homem são as provas necessárias para sua elevação.

  1. Donde provém a inferioridade moral da mulher em certos países?

“Do predomínio injusto e cruel que sobre ela assumiu o homem. É resultado das injustiças sociais e do abuso da força sobre a fraqueza. Entre homens moralmente pouco adiantados, a força faz o direito.”

Os preconceitos e a ganância pela dominação do próximo que fazem com que os homens não aceitem as mulheres como iguais. Por isso, o dia 8 de março é marcado por lutas e manifestações em busca dos direitos iguais, além de salários e jornada de trabalho.

  1. Sendo iguais perante a Lei de Deus, devem os homens serem iguais também perante a lei humana?

“O primeiro princípio de justiça é este: Não façais aos outros o que não quereríeis que vos fizessem.”

Finalmente, é importante homens e mulheres se unirem para cobrar uma legislação igualitária e justa. Assim, tal qual uma educação eficaz que ensine desde as primeiras séries da escola que não há diferenças, se não as preconceituosas.

Texto publicado originalmente em 9 de março de 2018. 

0

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

leave a reply

WhatsApp chat