Não julgueis para não ser julgados!

Espiritismo sem Mistério

Vivemos em uma sociedade em que somos constantemente julgados pela aparência, ações e até bens materiais que possuímos ou não. Mas e quando a situação é contrária, nós somos tolerantes as outras pessoas? Como a clemência pode nos ajudar a evoluir espiritualmente? A tolerância é uma virtude humana? Acompanhe agora no Espiritismo sem Mistério!

Leitura complementar

Espiritismo: Como entender a dor?

Uma das coisas que ouvimos com frequência é como podemos entender melhor a dor do outro, segundo o Espiritismo. Certamente nós queremos aprender a entender o significado físico e espiritual das mensagens transmitidas, seja de forma consciente ou não.

Mas isso é difícil para alguns e, claramente, precisamos ser capazes de entender as mensagens que as pessoas nos passam.

Espiritismo e a dor do outro

A comunicadora Deusa Samu, no 16° Encontro Amigos da Boa Nova no sábado (21), fez uma palestra emocionante sobre como podemos entender a dor dos outros.

Ela mencionou uma frase de Emmanuel sobre o tema: “Se não entenderes a dor do outro, fatalmente, terás que passar por ela”.

Deusa explicou que entender a dor do outro é quando sua amiga liga, às 3 da madrugada, e você a atende, com benevolência. Você ouve o seguinte desabafo: “Estou sentindo uma dor, uma dor tão grande. Quero ir agora no cemitério desenterrar meu filho”.

Entender a dor do outro não é julgar sua amiga, respondendo: “Menina, vai dormir! Seu filho não está lá”. É compreendê-la e dizer: “Sim, amanhã vou lá com você”.

Sua amiga não quis dizer que irá literalmente “desenterrar” a criança, mas sim que precisa da sua ajuda para lidar com aquele sentimento de reversibilidade – capacidade de um sistema físico de retornar ao estado inicial.

Então,respeitar a dor do outro e ser parceiro nas aflições é reconectar-se com Jesus Cristo. Agindo desta forma, sua amiga vai saber lidar com o que pode ou não ser mudado.

André Luiz fala sobre a compreensão 

Veja um texto do Espírito André Luiz, por meio da psicografia de Chico Xavier, sobre entender a dor dos outros.

Se você acredita que possa alcançar a sublimação espiritual sem os outros, não chegou à verdade. A vida foi criada, à feição de máquina complexa, em que as peças diferenciadas, entre si, guardam função específica.

Não fuja à engrenagem do seu grupo se deseja aperfeiçoar-se e progredir. Os outros são as áreas destinadas à complementação e melhoria dos seus próprios reflexos. Através deles, é que você se analisa para observar-se com segurança.

Não intente transformá-los, de imediato, porque qual ocorre conosco, são espíritos em evolução, caminhando entre dificuldades e sombras, para o conhecimento superior. Não exija deles a perfeição que estamos ainda longe de possuir.

Então, acredite, sempre que os outros nos apareçam à maneira de problemas, somos para eles outros tantos problemas a resolver. Diz você que precisa identificar-se com a vida e descobrir-se para fazer o melhor; entretanto, unicamente pelos outros é que você se encontra e se realiza para as conquistas supremas da felicidade e do amor.

Texto publicado em 26 de abril de 2018. 

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

deixe um comentário

WhatsApp chat