Estudando o Evangelho Segundo Espiritismo: O dever

Muitas pessoas se perguntam quais são os deveres que temos com as pessoas. O Evangelho Segundo O Espiritismo nos ensina que o dever é a obrigação moral que temos conosco e com os outros.

O que é a obrigação moral?

Em síntese, a obrigação moral consiste em ter a consciência despertada para o bem consigo mesmo e com as pessoas, seguindo o livre-arbítrio da forma mais salutar possível. O espiritismo nos instrui que o dever que vem do coração eleva o homem, pois é aquele feito com com sentimentos nobres e divinos. Porém, é preciso saber delimitar até onde podemos cumprir nossas obrigações com as pessoas.

“O dever começa, precisamente, no ponto em que ameaçam a felicidade ou a paz do nosso próximo, e termina no limite em que não desejaríeis ver transposto em relação a vós mesmos”.

 

Por que, algumas vezes, o dever com o próximo é tão difícil de se fazer?

O Evangelho nos apresenta uma visão plural sobre o mundo que vivemos. Muitas vezes, ficamos tão atribulados de desafios que não sabemos como prosseguir cumprindo nosso dever consigo mesmo e, em seguida com os outros.

Todos nós sofremos e sentimos dores grandes ou pequenas.  Mesmo assim, o Evangelho diz que são exatamente elas que nos elevam a patamares mais altos. Ninguém cresce sem dor e persistência. Assim é Deus na sua infinita misericórdia, criou os homens para a dor.

“A igualdade diante da dor é uma sublime previsão de Deus, que quer que os seus filhos, instruídos pela experiência comum, não cometam o mal, alegando o desconhecimento de seus efeitos”.

 

Dever é o guardião da razão

O dever cumprido é a forma de usar a nossa razão para cumprir nosso dever com as pessoas e criarmos um mundo cada vez mais elevado na escala evolutiva. Façamos o bem visando a coletividade e a nós mesmos.

Não é a toa que o capítulo O dever vem logo após a Parábola do Semeador. Nela, Jesus nos conta uma parábola sobre semear em terra boa, o que nos dará bons frutos.

Ou seja, as “sementes” descritas pelo mestre Jesus seriam as suas palavras. Isto significa que muitas pessoas recebem os ensinamentos de Cristo em palestras, reuniões de centros espíritas, entre outros locais, e não aplicam na sua própria vida o que foi aprendido.

Muitos ainda ficam curiosos pelo bem a princípio, mas indiferentes após passar um período de tempo. Reflitamos que todas as sementes que plantarmos terão frutos, sejam eles bons ou ruins. A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.

Fonte: Evangelho Segundo Espiritismo.

 

Para saber mais, Evangelho, acesse:

Prossiga – Cumprimento do dever

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

leave a reply

WhatsApp chat