TV Mundo Maior Uranografia Geral - Gênese original de Allan Kardec - TV Mundo Maior

Editorial

Uranografia Geral – Gênese original de Allan Kardec

Enviado em 8 de agosto de 2018 | Publicado por Haila Azevedo

Esse capítulo da Gênese é extraído textualmente de uma série de comunicações ditadas à Sociedade Espírita de Paris, em 1862, sob o título de Estudos Uranográficos, e assinado Galileu, médium senhos C.F… (nota de Allan Kardec)

Na Revista Espírita, as comunicações estão assinadas pelo médium Camille Flammarion (1842-1925), astrônomo, membro da Sociedade de Paris.

Galileu naquela época não tinha muitos recursos e a ciência não era tão avançada o quanto é hoje em dia, mas soube perfeitamente nos esclarecer alguns fatos sobre o universo e Allan Kardec junto dos médiuns, transferiram esses conhecimentos na obra A Gênese.

No século 19, a ciência oficial considerava como copos simples esfera sólidas, indestrutíveis com uma força atrativa para com outras iguais, diferindo em suas propriedades conforme as características do elemento que representam.

De acordo com esse paradigma científico, atualmente superado, uma pepita de ouro.

Por exemplo, se observada microscopicamente revelaria minúsculas esferas douradas unidas umas às outras sem deixar espaços, formando um todo sólido.

Logo, tudo se é formado de acordo com o tempo e aquilo que está no universo energeticamente.

E também tal é a situação daqueles que negam a existência do mundo dos Espíritos. Logo após terem se despojado de seu corpo físico, os horizontes deste mundo se desmoronam a seus olhos.

Compreendem, então o vazio das teorias pelas quais pretendiam explicar tudo exclusivamente pela matéria.

Entretanto, esses horizontes têm ainda, para eles seus mistérios que só se revelam sucessivamente, à medida que se elevam pela depuração.

Mas desde seus primeiros passos neste mundo novo, eles são forçados  a reconhecer sua cegueira, e quão longe eles estavam da verdade.

Existem questões que nós mesmos, espíritos amantes da Ciência, não saberíamos aprofundar e sobre as quais não poderíamos emitir senão opiniões pessoais, mais ou menos hipotéticas.

Para saber mais sobre o assunto, assista:

Conversando com Divaldo Franco – A Gênese

Parte 1

Parte 2

Parte 3

 

Comments

comments

Deixe seu comentário:


WhatsApp
Clique aqui