Curiosidades sobre Desdobramento – Entrevista com Paulo Henrique

Curiosidades sobre Desdobramento - Entrevista com Paulo Henrique

Confira a seguir algumas curiosidades sobre o Desdobramento, segundo Paulo Henrique de Figueiredo, escritor e estudioso da Doutrina Espírita:

Qual a diferença entre o sonho e o desdobramento?

Ao dormir é natural que você possa se lembrar de circunstâncias que vivenciou e que até parecem muito reais. Inclusive, num estágio mais profundo do sono, chega a misturar a fantasia com a realidade.

A principal diferença entre o sonho e o desdobramento é que você sai consciente da experiência vivida ao dormir. Ao acordar de um desdobramento, a memória da vivência tem continuidade. Além disso, mantem-se a consciência que tinha durante o sono, bem como  o conhecimento do instante anterior.

Por exemplo, quando você dorme, mas ao mesmo tempo está acordado, as coisas acontecem no ambiente, sob o seu controle. Ao despertar, percebe que estava acompanhando tudo, além de lembrar dos momentos anteriores com precisão.

O desdobramento lhe oferece a continuidade da percepção consciente. Os fatos que vivenciados durante o sono são percebidos de forma instantânea, de tal forma que o registro da memória percebe até o instante em que desperta.

Um espírito pode ficar preso enquanto está em desdobramento?

Não. Isso é impossível, por ser uma questão fisiológica do corpo. O sono é momentâneo, portanto, se a pessoa ficasse presa seria num estado de coma ou patológico. Na verdade, se ocorrer dela não despertar é por que está em coma. Então, podemos considerar um desdobramento quando a pessoa está consciente durante o período letárgico e lembra de toda experiência vivida durante o sono.

Muitas vezes, quem vivencia o desdobramento, de forma espontânea, têm dificuldade de voltar para o corpo, porque se fizer esforço para voltar, assim torna-se mais difícil o retorno.

Quem se desespera, com adrenalina, dificulta o retorno ao corpo.Quanto mais calmo você ficar, mais rápido você volta. Basta ficar tranquilo, como se fosse para dormir e então você volta para o corpo.

Isso tudo é um fenômeno fisiológico, um estado alterado de consciência que provoca no seu organismo a diminuição dos sentidos.

Se algo acontecer com o corpo durante o desdobramento, o espírito sente?  

Na hora, o indivíduo acorda. Nosso sistema nervoso tem uma estrutura de proteção que, no caso de perigo físico, o corpo desperta. Isso acontece tanto se você estiver no sonho quanto se estiver em desdobramento. Nos dois casos, desperta, porque temos os instintos de sobrevivência e meios de proteção.

O desdobramento teria um propósito para àquele espírito?

O desdobramento pode se tornar fonte de aprendizado, mas tudo no espiritismo tem dois caminhos. Quando Allan Kardec conheceu o fenômeno espírita, ele escolheu um caminho muito diferente de quase todos escolhidos até então, que usavam os fenômenos mediúnicos para recreação.           

O desdobramento pode ser uma fonte de recreação como qualquer outro fenômeno. O ímã, por exemplo, pode ser um brinquedo ou coisas de grande utilidade. Tudo que existe no mundo, você escolhe o propósito.

No entanto, há pessoas que usam o desdobramento de forma recreativa, ou seja, ficam passeando e brincando.

Hoje em dia, esse fenômeno perde um pouco a sua utilidade. Agora podemos imaginar o desdobramento no futuro, quando a sociedade estiver mais bem estruturada, as ideias espíritas estiverem integradas à cultura e a gente estiver trabalhando para ajudar as pessoas, tanto no mundo físico quanto no mundo espiritual.

Quando chegamos nessa fase – ao sairmos da condição atual  para um mundo feliz – todos os fenômenos mediúnicos vão ter uma nova carga de utilidade. Dessa forma, o desdobramento vai fazer a diferença, porque seria uma forma de participarmos do mundo espiritual mais efetivamente, mesmo estando encarnados.

Hoje a eletricidade tem uma utilidade enorme e podemos dizer que não teríamos o progresso de hoje sem ela, isso é uma constatação. Entretanto, há mais de um século atrás, ela não servia para nada, era um fenômeno inútil.

Pode dizer então que o desdobramento não tem nenhuma utilidade hoje, mas vai ser tão importante para o futuro quanto a eletricidade é hoje para a nossa sociedade.          

Leia também:

Para saber mais sobre o assunto, assista:

Mistérios: Desdobramento e Bilocação

 

Parte 1

 

 

Parte 2

 

 

Parte 3

 

 

Ricardo Guelfi de SouzaEscrito por: Ricardo Guelfi de Souza

Estudante de Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi. Estagiário de Marketing na TV Mundo Maior.

 

 

      

 

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

deixe um comentário

WhatsApp chat