Como sair do comodismo, segundo o espiritismo?

Alma Querida

Sabemos que estamos aqui nesse planeta de provas e expiações para nos melhorarmos e encontrarmos um sentido para nossa existência. Mas como saber se estamos no caminho correto para a iluminação? O que fazer para superar esse vazio interior que muitas vezes sentimos? Por que sentimos tantas dúvidas? Confira agora no Alma Querida!

Parte 1

Parte 2

Leitura complementar

Abnegação e Devotamento

O verdadeiro discípulo do Jesus Cristo não conhece a acomodação e tampouco a preguiça. Ele tem sempre “ligeiros os pés” e disposição constante para as tarefas do bem. Não se contenta tão-somente em cumprir suas obrigações e deveres rotineiros, mas vai além. Dá sempre um tanto mais de seu tempo e de seus talentos.

No livro de Emmanuel, psicografado por Chico Xavier, intitulado “Pensamento e Vida”, no capítulo 17 diz: “o nobre mentor define a palavra abnegação como aquela cota de serviço que se faz além da obrigação, visto que onde termina o dever, aí começa a abnegação”.

O Espírito de Verdade ensina: “(…) A abnegação e o devotamento são uma prece contínua e encerram um ensinamento profundo. A sabedoria humana reside nessas duas palavras. Tomai-as, pois, por divisa: devotamento e abnegação, e sereis fortes, porque elas resumem todos os deveres que a caridade e a humildade vos impõem”.

Meimei e a abnegação

Sobre o auxílio espontâneo, a doce Meimei conta que “(…) Um homem, desejando aprender como colaborar na construção do Reino de Deus, pediu ao Senhor o discernimento para compreender os Propósitos Divinos, e saiu para o campo.

De início, encontrou-se com o Vento que cantava e o Vento lhe disse: Deus mandou que eu ajudasse as sementeiras e varresse os caminhos, mas eu gosto também de cantar, embalando os doentes e as criancinhas.

Em seguida, o homem surpreendeu uma Flor que embalsamavam o ar com seu inebriante perfume e a Flor lhe contou: “Minha missão é preparar o fruto; entretanto, produzo também o aroma que perfuma até mesmo os lugares mais impuros”.

Logo após, o homem estacou ao pé de grande Árvore, que protegia um poço d`água, cheio de rãs, e a Árvore lhe falou: Confiou-me o Senhor a tarefa de auxiliar o homem; contudo, creio que devo amparar igualmente as fontes, os pássaros e os animais.

O visitante fixou os feios batráquios e fez um gesto de repulsa, mas a Árvore continuou: Estas rãs são boas amigas. Hoje posso ajudá-las, mas depois serei ajudada por elas, na defesa de minhas raízes, contra os vermes destruidores.

Ajudar sempre

O homem compreendeu o ensinamento e seguiu adiante, deparando com uma grande cerâmica.  Acariciou o Barro que estava sobre a mesa e o Barro lhe disse: Meu trabalho é o de garantir o solo firme, mas obedeço ao oleiro e procuro ajudar na residência do homem, dando forma a tijolos, telhas e vasos.

Então, regressando ao lar, o homem compreendeu que, para servir na edificação do Reino de Deus, é preciso ajudar os outros, sempre mais, e realizar, cada dia, algo mais do que seja justo fazer”.

Se conforme o ensino dos Espíritos Superiores receberemos, pelo cêntuplo, tudo que fizermos, quão afortunado não será aquele que, não se restringindo apenas ao âmbito do dever, o extrapola, percorrendo, a largos passos, o terreno fértil da abnegação.

Texto publicado em 21 de novembro de 2017. 

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

deixe um comentário

WhatsApp chat