Como equilibrar a vida pessoal e profissional?

Um Novo Olhar

Quando nos dedicamos integralmente em uma única área, com certeza faltará energia em outros campos. Devemos tecer uma análise constantemente se todas as áreas de nossas vidas estão em constante equilíbrio. Mas se algo estiver fora da normalidade, como não nos cobrarmos excessivamente? Podemos de fato alcançarmos a felicidade plena em nossos trabalhos e vidas? Como equilibrar a vida pessoal e profissional? Descubra aqui no programa Um Novo Olhar.

Leitura complementar

O que você tem feito com a sua vocação?

Quando somos crianças, o sonho de nossa vida é externado através de uma vaga visão. Geralmente, ela emerge durante nossos anos de adolescência. Há quem tenha desejado ser piloto de avião, professor, escritor, médico. Com exceção das pessoas totalmente inválidas, todo ser humano está aqui para servir de alguma forma a vida.

Vou direto ao assunto, estou falando de vocação. A palavra ‘vocação’ vem da palavra latina ‘vocare’ e significa “chamar”. Por vezes, ela pode estar atrelada à profissão que escolhemos seguir, contudo, e na maioria das vezes, ela é um chamado de Deus para vivermos a santidade de um modo específico em nossa vida. Vocação não é carreira, não é algo que você faz para ganhar dinheiro; vocação é aquilo que você é.

Costumo dizer que algumas pessoas são chamadas por Deus para se casarem, outras para ficarem solteiras. É o mesmo mistério tanto para a vida religiosa como para os que se apaixonam. Existe algo em nosso coração que não sabemos explicar, apenas sentir.

Como descobrir nossos talentos?

Alguns descobrem cedo sua vocação, outros podem levar anos para despertar e encontrar as respostas dentro de si. Sim, pois o sentido vocacional só é desenvolvido através do autoconhecimento. “O que eu devo fazer com a minha vida adulta?” Perdi as contas de quantas noites eu perdi refletindo sobre essa pergunta. E somente após os 30 anos é que as respostas começaram a aparecer, lentamente, depois de muita inquietude.

Samael Aun Weor, escritor e fundador do Movimento Gnóstico Cristão Universal, dizia que quem conhece sua vocação ou quem chega a descobri-lá por si mesmo, passa por uma tremenda mudança. Assim, já não busca o sucesso, pouco lhe interessa o dinheiro, a fama, a gratidão. Seu prazer está na alegria que lhe proporciona o haver respondido a um chamado íntimo, profundo e desconhecido de sua própria essência interna.

Desta forma, quando o posto não corresponde à vocação do indivíduo, ele só pensa em função do mais. Mais dinheiro, mais poder, mais projeção. Segundo o mestre, quando nossa vocação corresponde totalmente e de forma absoluta à posição que ocupamos na vida, exercemos nosso trabalho como um verdadeiro apostolado, sem cobiça alguma e sem desejo de poder. Assim, com toda certeza e fora de toda dúvida, seu verdadeiro e legítimo ofício torna-se, por este único fato, insubstituível.

Portanto, você conhece sua vocação? Além disso, o que tem feito para despertá-la? Se já nasceu, está cuidando bem dela?

*Este texto é de responsabilidade de seu autor. Não representa necessariamente a opinião da TV Mundo Maior.

Texto publicado em 1 de setembro de 2016. 

 

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

deixe um comentário

WhatsApp chat