Alzheimer na visão espírita e tratamento para melhorar

Alzheimer na visão espírita e tratamento para melhorar

Cientistas brasileiros na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) descobriram um hormônio produzido durante o exercício físico que pode recuperar a memória e levar a melhora de uma pessoa que está com Alzheimer.

Os testes foram apenas em camundongos mas acreditam que irá dar certo em humanos também por conta de alguns relatos de pessoas que já praticam esportes.

O responsável pela mudança de comportamento é um hormônio descoberto há seis anos: a irisina.

Ela é produzida nos músculos, com o estímulo da atividade física, e cai na corrente sanguínea.

Os cientistas já conheciam o efeito dela para reduzir as reservas de gordura. Este novo estudo mostra o poder da irisina quando ela chega no cérebro.

É uma promessa de tratamento. Um remédio com este hormônio pode anular os efeitos nocivos do Alzheimer.

Mas a fabricação do medicamento pode demorar, depende ainda de testes em seres humanos. Porque a gente pode começar a produzir este hormônio agora. É só não ficar parado.

“Então esse novo hormônio poderá ser a base para um futuro remédio, da mesma forma como, por exemplo, a insulina é um remédio para o diabetes hoje em dia”, disse o neurocientista Sérgio Ferreira.

“O exercício físico induz a produção de irisina no nosso corpo.

Então, a gente pode usar isso a nosso favor para que a gente consiga evitar ter perda de memória e doença de Alzheimer no futuro”, explicou o também neurocientista Mychael Lourenço.

Alzheimer na visão espírita:

O Alzheimer na visão espírita é algo muito complexo e como tudo, não tem uma regra e não podemos julgar por qual motivo tal pessoa tem essa doença. Então cabe a nós somente ajudar da melhor forma possível.

Mas o que queremos mostrar aqui nesse artigo é que tudo tem um fim, nada é para sempre, a não ser nosso espírito que é eterno as doenças vêm e vão, servem apenas de lição.

Com o avanço da humidade e a caminhada para o mundo de regeneração os problemas vão desaparecendo.

Logo, as doenças vão diminuindo porque já aprendemos a lidar com elas.

E é exatamente isso que podemos notar com essa notícia, a ciência evoluindo junto conosco e abrindo novas possibilidades.

Então, cabe a nós estudar, buscar melhorias, enfrentar os desafios e superar as barreiras do nosso dia dia para um dia nos encontrarmos livres de todas essas doenças inferiores a nossa evolução espiritual.

(Fonte: G1sonoticiaboa)

Para saber mais sobre o assunto, assista:

Alzheimer – Visão Espírita

deixe um comentário

WhatsApp