TV Mundo Maior Sadomasoquismo na Visão Espírita - TV Mundo Maior

Sadomasoquismo na Visão Espírita

Sadomasoquismo na Visão Espírita


Programas:
Boletim Espírita
Data: 08/05/2018
Temas: Programas

Sadomasoquismo é a prática da relação sexual entre uma pessoa sádica, que sente prazer ao ver o outro sofrer e um masoquista, que se satisfaz em sentir dor durante o ato sexual. Será que o gosto por esse tipo de relação, pode ser uma tendência que o espírito traz de outras encarnações? Por que pessoas com esses desejos ligam o amor e o prazer ao sofrimento e humilhação? Esse ato é visto muitas vezes como uma prática de pessoas pervertidas, seria isso mesmo? Como lidar com os impulsos sexuais? Saiba mais sobre esse tema com o estudioso espírita André Marouço aqui no Boletim Espírita.

Sadomasoquismo na visão espírita

Leia também:

Sadomasoquismo e a ligação com outras encarnações

Alguns assuntos são considerados tabus, principalmente quando são relacionados ao sexo. Este é o caso do sadomasoquismo, que se refere à pessoas que buscam o prazer sexual na dor, utilizamos o sadismo e o masoquismo.

O sadismo é a tendência de uma pessoa de sentir satisfação em causar dor e sofrimento moral e físico no outro. Já o masoquismo é o oposto do sadismo, ou seja, é quando a pessoa sente prazer em sentir dor.

O sadismo possui este nome por conta de um escritor francês, do ano de 1700, conhecido como Marquês de Sade. O artista ficou preso por mais de 27 anos acusado de tortura sexual, e por suas obras contarem histórias de atos considerados pervertidos e chocantes na época, e até mesmo nos dias de hoje, o escritor deu início aquilo que hoje é chamado de sadismo.

Na obra “Sexo e Obsessão”, psicografia de Divaldo Pereira Franco, publicada em 2002, há citação da presença de Sade, na dimensão espiritual, ainda sintonizado na faixa desarmônica da aberração sexual. O praticante do sadismo obtém prazer provocando dor ou impingindo humilhação moral, com ou sem aprovação de sua vítima, algumas vezes ocasionando a sua morte.

Atualmente, é um tema que tem sido muito explorado, principalmente pelas produtoras de filmes e de telenovelas. A trilogia Cinquenta Tons de Cinza é um exemplo de como a quebra de tabus tem sido parte da rotina dos cinemas. Um livro, que virou filme, e foi febre entre jovens e adultos.

O personagem principal, é um homem bem sucedido, jovem, bonito mas que guarda segredos obscuros, e conforme o desenrolar da história o internauta percebe que ele é praticante do sadomasoquismo. Ele é um homem que sente prazer em causa dor no ato sexual.

No terceiro e último livro que está lendo percebe que ele, na verdade, desenvolver esse gosto pelos traumas que teve na infância, então, foi o caminho que o personagem encontrou para conseguir ter algum tipo de relação com alguma mulher.

Sadomasoquismo: Medicina X Praticantes

Segundo praticantes do sadomasoquismo, esta prática está ligada mais a um jogo do que qualquer outra coisa, chamado de psiquismo erótico e não está conectado a qualquer tipo de tortura ou espancamento.

“Quanto ao sadomasoquismo, é interessante a observação de que, na espécie animal, o homem é único que causa sofre a dor para atingir o prazer. Desde da década de 80, a Associação Americana de Psiquiatria não considera mais o desvio sexual como desajuste mental, deixando de ser, em terras do Tio Sam, catalogada como doença. Psicólogos e psiquiatras mais liberais acreditam ser o sadomasoquismo benéfico para as pessoas que têm dificuldade de se entregar completamente ao ato sexual necessitando estar, por exemplo, amarrados, sem poder oferecer resistência à ação do parceiro, favorecendo o envolvimento e a busca do prazer.

Acreditamos que a origem da problemática pode ser apontada em existência pretérita, quando o indivíduo, infelizmente, vivenciou a sexualidade sufocada por tabus, considerada como impura e pecaminosa, ou mesmo consequente à prática sexual violenta, como artífice do estupro.

O desequilíbrio do presente é resultante de complexo de culpa gerado no passado, o qual, para ser suportado e aliviado, momentaneamente, necessita da formulação de fantasias sexuais excêntricas, impregnadas de muito sofrimento.” Explica o o médico e pesquisador espírita Américo Domingos Nunes Filho.

O médico também explica que o mundo da fantasia sexual pode ser recorrida por muitos casais por conta de encarnações passadas. Para combater ações inibitórias sofridas, a fantasia sexual é um caminho para que a trava do sentimento de prazer não ocorra.

 

Comments

comments


Clique aqui