TV Mundo Maior Nem todos que passam pela nossa vida tem que ficar - TV Mundo Maior

Evangelho e Reforma Íntima

Nem todos que passam pela nossa vida tem que ficar

Enviado em 18 de setembro de 2017 | Publicado por TV Mundo Maior

Essa semana me pus a pensar sobre a difícil tarefa de aceitar a provisoriedade da vida. Sobre o quanto somos resistentes a mudanças, sejam elas no âmbito pessoal ou profissional.

Nem sempre vai dar para ligar para a melhor amiga contando que o namoro com o tal cara que conheceu na última festa de Reveillon foi pra frente. Nem sempre vai dar para planejar a festa de casamento com aquele rapaz lindo de olhos azuis que você conviveu durante um mês no intercâmbio. Até mesmo aquele amor da adolescência, com quem dividimos a vida adulta por um longo período e que respirava um final feliz, pode vir a ter um prazo de validade.

Minha intenção não é desiludir os corações apaixonados, nem tão pouco rasgar os acordos do “felizes para sempre”. O que quero dizer é que Deus vai colocar algumas pessoas em nossas vidas por um tempo determinado. Elas são uma conexão divina com começo, meio e fim, e no momento certo sairão de cena. Elas nos deixarão dor e saudade, sentimentos de frustração e até de revolta. Brigaremos com a vida, com os anjos, com o destino, nos perguntando os motivos pelos quais fomos abandonados. E por mais que você tenha se doado e amado genuinamente, ainda assim elas seguirão seus destinos.

Aquela amiga inseparável dos tempos do colégio, com quem adorava bater perna por horas e horas no shopping da cidade, casou-se. Apesar de a amizade existir, a presença nunca mais será como nos tempos da juventude. Cada um de nós abriga no peito um sonho diferente. Alguns mudarão de cidade, outros de país. Aquele emprego pelo qual lutamos dia e noite para conquistar será nosso até o momento em que outro ainda melhor aparecer. Ou até mudarmos os nossos objetivos e missões de vida. Hoje me dedico ao jornalismo, a medicina, a arquitetura, as artes. Amanhã posso mudar a vibração e desejar fazer trabalhos voluntários, ter um negócio próprio ou tentar aquele mestrado na Espanha. Assim acontece com todos nós. Aceitar essa condição da vida, nossa, e do outro, é a tal da maturidade.

O palestrante Tiago Brunet disse em certa ocasião que “devemos celebrar quem entra em nossa vida e nunca reclamar de quem sai, pois Deus está no controle de tudo. As provações vêm à nossa vida para que a gente cresça e se fortaleça. Assim, quando um problema ainda maior aparecer, teremos estabilidade para enfrentar, fé suficiente para acreditar em nós mesmos e nas armas espirituais que estão em nossas mãos.”

A vida nos ensina diariamente sobre a preciosidade da convivência e do quanto necessitamos um dos outros para nos auxiliar naquilo que temos limitações. Por isso, há inúmeros professores que são colocados ao nosso lado apenas para nos ensinar algumas tarefas, e após terem cumprido essa missão, seguirão sua rota, em busca de novos alunos.

Leva-se tempo para se desprender da ideia de que perdemos a chance de conhecer ou estar com alguém maravilhoso. Hoje, tenho tentado analisar a situação por outra perspectiva: conhecemos, abraçamos e beijamos aquela pessoa pelo tempo suficiente que ela precisava ter para deixar sua marca em nós. A vida precisa seguir seu fluxo. E apesar das dores da perda, é assim que caminha a humanidade. Para toda partida,  uma chegada. Para todo desencontro, uma nova chance de ser feliz. Para todo fim, o sopro de um novo começo.

*Este texto é de responsabilidade de seu autor. Não representa necessariamente a opinião da TV Mundo Maior.

Texto escrito por Camila Garcia

Jornalista, pós-graduada em Comunicação Integrada e Marketing pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atualmente é assessora de comunicação do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP). Já trabalhou como repórter, redatora e produtora de TV. Nas horas vagas gosta de caminhar ao ar livre, ler e meditar. Também não dispensa uma boa pizza e a companhia da família e dos amigos. É apaixonada pelo mundo das letras, do autoconhecimento e da espiritualidade, temas que se tornaram sua principal linha editorial.

Para saber mais sobre outro assunto relacionado ao tema, assista:

Deixe-me Partir – Repensar

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Comments

comments

Deixe seu comentário:


Clique aqui