TV Mundo Maior Mulheres que auxiliaram na codificação da doutrina espírita - TV Mundo Maior

Artigos

Mulheres que auxiliaram na codificação da doutrina espírita

Enviado em 7 de agosto de 2017 | Publicado por TV Mundo Maior

Mulheres tiveram participação notável no surgimento, na codificação e na divulgação do espiritismo, demonstrando coragem, ausência de preconceitos e espírito inovador. Vamos conhecer algumas delas:

 

  • Senhora Plainemaison

 

Uma das primeiras mulheres que abriu a sua porta para que fosse realizado as primeiras sessões espírita, onde ocorriam os fenômenos das mesas que girantes. Lembrando que ela era uma das poucas pessoas que realmente não arrecadavam nenhum dinheiro por oferecer a sua casa para esses trabalhos, mas sim para que os fenômenos fossem estudados e que descobrissem a origem.

Portanto, foi graças a essa sessão espírita realizada na casa dela que foi pioneira na realização desse tipo de reunião, que Allan Kardec (na época era conhecido ainda como professor Rivail) constatou pessoalmente a veracidade dos surpreendentes fenômenos das mesas girantes e decidiu estudá-los a fundo, dando um novo rumo na história do Espiritismo.

 

  • Amélie Gabrielle de Lacmbe Boudet Rivail (Senhora Allan Kardec)

 

Esposa de Allan Kardec, Amélia esteve ao lado do seu marido apoiando desde o seu falecimento.

Allan Kardec apesar da sua grande sabedoria, sempre foi um homem que não acreditava em si próprio, e foi a sua mulher que lhe deu força para ele realizar a sua missão de codificador da doutrina. Quando ela se tornou sua secretaria passou a estimulá-lo e incentivá-lo a não desistir da sua tarefa. Amélie deixou a sua família que lhe dava uma vida tranquila em que ela não precisaria trabalhar para seguir a vida com Allan Kardec, simplesmente por amor e por acreditar na capacidade do esposo. Kardec nos confirma esse fato, quando diz:

“Minha mulher, aderiu plenamente aos meus intentos e me secundou na minha laboriosa tarefa, como o faz ainda, através de um trabalho frequentemente acima de seus forças, sacrificando, sem pesar os prazeres e as distrações do mundo aos qual sua posição na família havia lhe deixado.”

Com toda certeza, ela foi de grande importância na codificação tanto quanto seu marido, por que após a morte de Kardec, ela deu continuidade ao seu trabalho, com desinteresse e devotamento, fundando a Sociedade para a continuação das obras Espíritas de Allan Kardec, destinada a vulgarização do espiritismo, por todos os meios permitidos.

 

  • Aline Carlotti

 

Médium de psicografia e psicofonia, foi quem serviu de intermediária para que o Espírito de Verdade confirmasse ao professor Rivai (Allan Kardec) que ele tinha uma missão importante a realizar com o seu trabalho de codificação dos ensinos dos espíritos. O Espírito da Verdade escreveu-lhe o seguinte, através da mediunidade da senhorita Aline:

“Confirmo o que te foi dito a respeito da tua missão, mas recomendo-te muita discrição, se quiseres sair-te bem.Não esqueças que podes triunfar, como podes falir. Nunca, pois, fales da tua missão; seria a maneira de a fazeres malograr-se. Ela somente pode justificar-se pela obra realizada e tu ainda nada fizeste. Se a cumprires, os homens saberão reconhecê-lo, cedo ou tarde, visto que pelos frutos é que se verifica a qualidade da árvore. A nossa assistência não te faltará, mas será inútil se, de teu lado, não fizeres o que for necessário. Previno-te de que é rude a tua missão, porquanto se trata de abalar e transformar o mundo inteiro…”

A senhorita Aline, participou de modo grandioso na codificação do espiritismo, ao intermediar muitas comunicações e revelações dos espíritos. Um fardo que não era nada fácil na época, por serem brutalmente criticados todas as pessoas que desenvolviam a sua mediunidade, sendo chamada de bruxa, mentirosa e até mesmo ser considerada pelos ignorantes uma pecadora que nunca herdara o reino de Deus.  Mas ela aguentou todas as críticas para auxiliar Kardec na sua missão.  

Todas essas mulheres tinham grandes características destacáveis em um ser humano, como bom exemplo de bondade, força e amor pela humanidade. Enfrentaram desafios grandes, deixando de lado o seu orgulho pois não podiam ficar pensando nas críticas, mas sim no dever de auxiliar na codificação.  

(Fontes: Mundo Espírita e Espiritismo em Movimento)

*Este texto é de responsabilidade de seu autor. Não representa necessariamente a opinião da TV Mundo Maior.

Escrito por: Haila Vicente

Estudante de Rádio, TV e vídeo na FIAM FAAM – SP. Estagiária de Marketing na TV Mundo Maior.

Praticante da Doutrina Espírita – Formada no curso de Orientação e Educação Mediúnica no Grupo Espírita GEBEM – Guarulhos SP.

Nas horas vagas gosta de assistir filmes, séries, ler livros, estar com a família e amigos.

 

Para saber mais sobre o assunto, assista:

Mulheres importantes para o espiritismo

Comments

comments

Deixe seu comentário:


Clique aqui