Artigos

Médicos atendem de graça pessoas carentes nas ruas

Enviado em 7 de fevereiro de 2017 | Publicado por TV Mundo Maior

Pouca gente sabe, mas existem centenas de médicos no Brasil que vão para as ruas atender os pacientes de graça.

Médicos atendem de graça pessoas carentes pessoas.jpg

(Foto: reprodução / SaúdePopular)

São profissionais que acreditam que o atendimento médico deve ser gratuito, de qualidade para todos os cidadãos e que a medicina não pode ser pautada pelos interesses financeiros. Eles fazem parte da Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares, criada em 2014, e composta por centenas de profissionais espalhados em 11 estados brasileiros.

Cada um dos integrantes está fazendo a diferença nas áreas onde atuam. Para Valeska Antunes o papel do profissional médico deve ir muito além do tratamento de doenças.

“Trabalho em uma comunidade onde a principal causa de morte é o extermínio dos jovens negros por conta da repressão ao tráfico de drogas. É papel do médico discutir as causas das mortes massivas”. diz Valeska.

Fonte: http://www.sonoticiaboa.com.br

Como já dizia Dr. Bezerra de Menezes:

“O médico verdadeiro não tem o direito de acabar a refeição, de escolher a hora, de inquirir se é longe ou perto. O que não atende por estar com visitas, por ter trabalhado muito e achar-se fatigado, ou por ser alta noite, mau o caminho ou tempo, ficar longe, ou no morro; o que sobretudo pede um carro a quem não tem como pagar a receita, ou diz a quem chora à porta que procure outro – esse não é médico, é negociante de negociante de medicina, que trabalha para recolher capital e juros os gastos da formatura. Esse é um desgraçado, que manda, para outro, o anjo da caridade que lhe veio fazer uma visita e lhe trazia a única espórtula que podia saciar a sede de riqueza do seu espírito, a única que jamais se perderá nos vaivéns da vida.”

Para saber mais sobre o assunto assista:

Alma Querida – Maior preocupação dos médicos com o dinheiro do que com a saúde.”

Parte 1

Parte 2

 

Comments

comments

Deixe seu comentário:


Clique aqui