TV Mundo Maior Amar ao próximo como a si mesmo: A Fé e a Caridade - TV Mundo Maior

Evangelho e Reforma Íntima

Amar ao próximo como a si mesmo: A Fé e a Caridade

Enviado em 22 de novembro de 2017 | Publicado por TV Mundo Maior

O conto abaixo relata a noite de Evangelho no Lar de uma família e as discussões acerca da leitura do item A Fé e a Caridade, em cima da dúvida de Marcos sobre o tema.

A engrenagem pelo bem

O relógio da pequena prateleira abaixo do espelho marcavam pontualmente oito horas da noite. Segunda-feira e todos da família Monti Sartori, de origem italiana, estavam sentados à mesa quadrada, de madeira escura, no centro da sala de jantar.

Uma toalha branca, sete copos com água até a metade à frente de cada cadeira e uma jarra de vidro cheia d’água ao alcance de todos. Esses eram os preparativos para a noite do Evangelho no Lar. Uma leitura breve de um trecho da obra de Allan Kardec – O Evangelho Segundo o Espiritismo – seguida de uma discussão acerca do tema lido; uma forma de aprender sobre a doutrina e escutar a interpretação dos demais presentes.

Marcos Monti Sartori era o mais novo integrante da família. Avó, mãe, pai, e seus outros irmãos completavam os presentes. Sua irmã mais velha iniciara com uma prece agradecendo principalmente à saúde de todos. Ao final da fala da jovem a mãe deu início à leitura.

– Capítulo XI – Amar ao próximo como a si mesmo: A Fé e a Caridade. Disse-vos, não há muito, meus caros filhos, que a caridade, sem a fé, não basta para manter entre os homens uma ordem social capaz de os tornar felizes. Pudera ter dito…

Todos permaneceram de cabeça baixa, atentos à leitura. Em algum momento a mãe gaguejou, talvez por tentar antecipar as palavras escritas.

Os pensamentos de Marcos ficaram confusos durante a leitura. Não entendera a direção do texto, muitos assunto, porém, ao mesmo tempo apenas um. Ele pensara que a caridade e a fé eram algo independente.

– Hoje, na sociedade, para serdes cristãos, não se vos faz mister nem o holocausto do martírio, nem o sacrifício da vida, mas única e exclusivamente o sacrifício do vosso egoísmo, do vosso orgulho e da vossa vaidade. Triunfarás, se a caridade vos inspirar e vos sustentar a fé. – Espírito protetor. (Cracóvia, 1861.)

Com o término do item, os presentes poderiam comentar o tema de acordo com suas interpretações.

A avó trouxe poucas e importantes palavras: “A caridade é acreditar, não apenas em Deus, mas no próximo.”

Os irmãos quase nunca comentavam depois da leitura. O pai ameaçou iniciar sua fala com uma movimentação na cadeira, quando Marcos o interrompeu:

– Qual é mais importante, a fé ou a caridade?

A mãe assentiu com uma leve balanço da cabeça. Respirou e pôs-se a responder o filho:

– Sem a caridade a fé seria algo singular. Sem a fé a caridade seria vazia. Uma age e a outra deposita a esperança, mas tudo pelo bem do próximo. Deve-se acreditar em Deus e fazer na Terra a sua vontade. Somos seres imperfeitos em sua totalidade, porém podemos exercer o bem se deixarmos o egoísmo e o orgulho de lado.

Acredito também – Completara o Pai – Ser de grande importância abraçarmos a caridade como algo mais importante que as própria religiões, pois o seu alvo maior é o bem do próximo. Não deve ser relevante visar o seu ato, ou de sua instituição, e sim a ajuda que alguém está recebendo, seja material ou moral.

– São como uma engrenagem, acreditar e fazer o bem, uma com a outra. – Afirmou Marcos com um sorriso de quem agora entendera a ideia principal de fé e caridade.

A avó finalizou o evangelho com uma prece de encerramento, pediu pela proteção, compreensão da leitura e a prática da caridade.

Todos beberam as águas fluidificadas em seus copos, levantaram da mesa e iniciaram a organizar a mesa para o jantar. Essa era a noite da semana com o estudo do Evangelho no Lar.

 

Para estudar o Evangelho Segundo o Espiritismo,assista:

A felicidade não é deste mundo – Espiritismo sem Mistério

 

Fonte: Imagem ilustrativa retirada de catholictruth cleofas.

*Este texto é de responsabilidade de seu autor. Não representa necessariamente a opinião da TV Mundo Maior.

Escrito por: Ricardo Guelfi de Souza

Estudante de Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi. Estagiário de Marketing na TV Mundo Maior.

 

 

Comments

comments

Deixe seu comentário:


Clique aqui