TV Mundo Maior O uso da palavra, segundo Joanna de Ângelis - TV Mundo Maior

Evangelho e Reforma Íntima

O uso da palavra, segundo Joanna de Ângelis

O uso da palavra, segundo Joanna de Ângelis

Enviado em 19 de junho de 2018 | Publicado por Leticia Lopes

Espírito Joanna de Angelis, guia espiritual do médium Divaldo Franco, fez importantes considerações sobre como devemos fazer o uso da palavra no livro “Luz nas Trevas”.

Para o espiritismo, a mente é um instrumento da alma, um portal eterno. Assim, quando falamos algo, emitimos uma energia que se transmite pelas palavras. Ao notarmos que uma pessoa está angustiada, uma mensagem pode tirá-la da pertubação ou mesmo agravar seu estado de consciência.

Então, vemos muitos oradores usarem da palavra de forma negativa para promover o ódio, a maledicência, a falta de sentido, entre outros sentimentos. Porém, não perturbemos por isso, pois eles são responsáveis por suas ações. No entanto, como não nos deixar levar por essas energias?

Joanna de Ângelis aconselha que devemos usar a palavra para melhorar a nossa vida e a vida do próximo. Portanto, é necessário cuidado com tudo que dizemos.

Como ser positivo com as palavras?

Joanna de Ângelis explica:

Nós estamos encarnados neste mundo de provas e expiações que nos convida a olhar para nós mesmos para reformar nossos pensamentos e atitudes.

Ao passar por uma dificuldade, algumas pessoas costumam se revoltar. Um bom exemplo é quando não conquistamos algo que almejamos muito. Desta forma, Joanna nos ensina que devemos fazer o uso de palavras positivas, geradoras de equilíbrio.

“Trazendo-lhes a herança da paz e do reino dos céus dentro de nós”, aconselha Joanna. Sendo assim, sabemos que somos seres criados com o amor do Criador. Esta vida pode nos trazer vicissitudes, mas são exatamente elas que farão com que nos melhoremos espiritualmente.

Passamos por muitas vidas até que consigamos conquistar a melhoria que nos é ofertada por Deus.

Leia também: Reencarnação, segundo Chico Xavier

Quite os débitos das vidas passadas

Se não aprendemos com os desafios, teremos que passar por eles novamente. Quando nos revoltamos, gera-se uma perturbação no espírito, dessa forma, essa pessoa fica com menos recursos para superar-se.

Mas os benfeitores espirituais nos aconselham o seguinte:

“Com o brilho de cada palavra, compôs as novas de alegria que permanecem o roteiro mais seguro pra vida da plenitude”. Assim, nós temos a rota e o desenvolvimento da plenitude.

A partir de agora, vamos olhar para frente e mudar comportamentos nocivos. Vamos começar a construir coisas boas. Se você ouvir falar mal de alguém, não alimente esses comentários.

Ou mesmo, não veja eles por um ângulo negativo. Algumas pessoas levam uma simples sugestão como ofensa. Não é bem por aí. Aprendamos a falar das coisas boas. Façamos comentários ressaltando o lado bom das pessoas. Mas não espere retribuição da parte delas.

Apenas espere o bem que essas palavras farão na alma de alguém. Esse é um aprendizado constante. Após diversas experiências, saberemos como não perpetuar o sofrimento com palavras nocivas.  

“Altera a tua ótica verbal usando a palavra com piedade e respeito pelo outro. Se não pode ajudar, não pertube, nem crie animosidades com o seu próximo”, diz Joanna.

“Erga o ser infeliz para prosseguir na sua jornada”, complementa a benfeitora espiritual. Como você pode ajudar alguém? Ore por ela, medite pela melhora desta pessoa. Essa e outras atitudes farão a melhoria do ambiente e de quem está precisando desta força edificadora do mundo espiritual.

Leia também: Evangelho: Buscai e Achareis – Programa Evangelho, Psicologia e Espiritualidade

Fonte: Joanna de Ângelis fala sobre o uso da palavra – Desafios e Soluções.

 

Para saber mais, assista:

A Caridade da Palavra – Pronto Atendimento

Comments

comments

Deixe seu comentário:


Clique aqui