TV Mundo Maior Pai para sempre - TV Mundo Maior

Editorial

Pai para sempre

Enviado em 12 de agosto de 2016 | Publicado por TV Mundo Maior

Pai é presença eterna, é mais que ser ou ter, é sentir. Sentir a presença, o abraço caloroso, as lembranças de infância, as broncas de adolescência com a voz simultaneamente doce e firme, sentir que mesmo distante, jamais será ausência.

Ser pai não é apenas gerar uma vida, doar o seu DNA. Não basta registrar em seu nome e dar o suprimento material, mas é preciso cuidar, dar amor, carinho e atenção. E com esse mesmo amor, educar, sem, no entanto, ser exageradamente complacente, e sim agindo, quando necessário, com firmeza para a efetiva formação do caráter. Portanto, mesmo sem ter fornecido o material genético, é pai aquele que supre as necessidades materiais, morais, físicas e emocionais, dando suporte espiritual em todos os momentos da vida. A paternidade de fato é uma escolha, não ocorre por imposição legal ou moral, mas por convicção pessoal, mesmo que tardiamente alcançada. Ser pai é chorar ou sorrir sempre em dobro. É ficar acordado até que a filha ou filho retorne para casa. É viver os sonhos e comemorar as vitórias de seus filhos. Para os pais, suas crianças serão sempre crianças, não importando o quanto cresçam. Pai pode ser o homem, a mulher que cria sozinha, o irmão mais velho que se assume nessa condição, o cuidador do orfanato, todo aquele que acolhe um ser na intenção de dar a ele proteção e carinho.

Pais e filhos são insubstituíveis uns para os outros. Assim como a figura do pai nasce junto com o nascimento de cada filho ou filha, perece também o pai ao ver ceifada prematuramente esta vida, pois, por natureza, nos imaginamos sempre partindo antes dos filhos. Doloroso também é, para um filho dedicado, ver a partida de seu pai que tanto lhe serviu de exemplo e pilar existencial. Mas devemos entender que os desígnios de Deus estão além de nossa compreensão. Que nenhuma folha sequer, cai sem a autorização d’O Criador, e que, como dito em Nosso Lar de Chico Xavier pelo espírito de André Luiz“… A vida é fonte eterna e a morte é jogo escuro das ilusões. ”. Sendo, como afirma André Luiz, o corpo apenas uma veste, a vida continua numa nova etapa da escala evolutiva e a saudade será um dia extinta pela alegria do reencontro, e mesmo em planos diferentes seus corações seguem juntos na infinita jornada espiritual. Desta forma, tenhamos em mente que Pai é sempre PRESENTE. Um presente de Deus que não deixa de ser nem de existir.

Há pais que não geraram filhos, nem os adotaram de direito, mas de fato, são pais pelo amor e devoção com que se doam ao seu semelhante, oferecendo conforto material, formação moral e apoio espiritual, de maneira conjunta ou isoladamente, num sentido coletivo ou individualmente. É pai aquele que salva uma vida, aquele que resgata um semelhante da escravidão ou da violência, aquele retira um indivíduo da condição de miséria, dando-lhe esperança para uma nova vida. É pai aquele que, pelos seus gestos de nobreza, conduz um povo para a liberdade, para uma sociedade justa e próspera. É pai aquele que serve de exemplo para seus semelhantes, sendo eles familiares, amigos, vizinhos ou toda uma nação.  Se você ama seu semelhante a ponto de dedicar boa parte do seu tempo a ele, você é pai em seu coração.

Portanto ser pai é mais que uma condição, mas um sentimento profundo, reflexo do amor de Deus-Pai perante todas as suas criaturas, sentimento que nos torna cocriadores do Universo.

*Este texto é de responsabilidade de seu autor. Não representa necessariamente a opinião da TV Mundo Maior.

Assista este emocionantete vídeo que aprseenta uma reflexão sobre a relação entre pais e filhos

 

[youtuber youtube=’http://www.youtube.com/watch?v=0f2yQ1k4Uvg’]

 

 

DuilioTexto escrito por Duilio Moraes

Duilio é radialista, graduado em Tecnologia em Processamento de Dados, com mais de 15 anos de experiência no setor bancário e atualmente trabalha como Coordenador Administrativo e Financeiro da TV Mundo Maior, tendo atuado também na Produção Executiva do longa “Causa e Efeito” do diretor André Marouço.

Comments

comments

Deixe seu comentário:


Clique aqui