TV Mundo Maior O que são santos? - TV Mundo Maior

Editorial

O que são santos?

Enviado em 9 de setembro de 2017 | Publicado por TV Mundo Maior

Todos nós brasileiros de certa forma já ouvimos falar nos santos. Nosso calendário segue o cristianismo. Temos nele feriados, datas e festividades aos santos. E quem foram eles? Qual é a importância deles na sociedade? Qual é o papel deles no mundo espiritual?

Eles foram espíritos como nós, mas se destacaram e ficaram famosos pelos seus feitos. Uns carregavam as marcas de crucificação do Cristo, outros abriram mão de uma vida de paixões e luxo para se tornarem mais humildes e levar o nome de Jesus adiante. Outros foram levados ao altar por lutar (ir para a guerra) a fim de que o cristianismo não se enfraquecesse. A igreja católica não tem em sua doutrina religiosa a reencarnação. E acham que esses espíritos continuam a ser como eram quando aqui encarnados.

Acham que se o espírito foi um papa milagroso que faleceu há mais de 500 anos, ele continuaria a usar roupas de sacerdote católico. Mas perante a doutrina espírita, todos nós estamos em uma vida contínua, porém com diversas existências. Sabemos também que o espírito quando necessita retornar à terra para resgatar ou com uma missão, ele reencarna. Ele volta e não se pode dizer que ele receberá o mesmo nome, nem seguirá a mesma filosofia religiosa, e aonde (em que país, nação) ele reencarnará será relativo.

Esse ato de fé, naquela época serviria como exemplo para os homens. Sendo assim, puseram-no no altar, canonizando-o para que os homens se espelhassem nele. Sabemos e temos a compreensão de que o mundo teve a necessidade das guerras, dos vultos luminosos, das renúncias e até mesmo dos martírios. Pois “não há folha sequer que caia sem a permissão de Deus”.

Ele desencarnou há mais de mil anos. E será que ele não teria mais reencarnado na terra?

Claro que sim. Sob a visão da Doutrina espírita, claro que ele pode ou deve ter reencarnado. Assim como outros santos. Não que tenham encarnado neste planeta, pois nós espíritas acreditamos que poderiam reencarnar em outros planetas também. Eles certamente tiveram essa missão. Vieram na terra para lutar para que o nome e os ensinamentos do Cristo não fossem extinto (o que não aconteceria, por isso vieram para terra). Assim aconteceu com vários mártires, como outro santo muito popular que é São Sebastião.

E as orações que são feitas a eles são atendidas? Por quem?

Claro que são atendidas, assim como são atendidas as orações feitas a Deus, aos médicos espirituais, entre outros espíritos. São atendidos por espíritos amigos. Muitos trabalham dessa forma. Pois o espírito pode se plasmar da maneira que achar melhor. Na forma mais feliz. Isso quando se trata de um espírito mais evoluído. A vida de Francisco de Assis, foi uma escolha dele seguir ao Cristo renunciando todas as coisas mundanas que o atrasava. Ele com certeza deve se sentir muito feliz se plasmando dessa forma. Pode sim ter reencarnado e pode reencarnar quantas vezes achar necessário. Muitos representantes da igreja que, ao desencarnar, continuam a trabalhar com os santos ouvindo as orações e preces.

A nossa doutrina nos ensina que a dor, o sofrimento, ainda se faz necessário. É um modo de aprendermos a corrigir os erros do nosso passado e muitas vezes exigimos que os espíritos trabalham em nosso benefício. Eles observam orações por orações e ajudam sim, mas se for contra as leis de aprimoramento do ser, eles não irão atender, pois seria ir contra as leis de Deus: a lei de ação e reação.

E as festas realizadas para eles?

A doutrina espírita nos diz que os espíritos não necessitam disso. Eles não precisam de velas, flores, balões, entre outros. Muitos, principalmente católicos e umbandistas no dia de cada santo atiram fogos de artifício. Lembremos que soltar fogos é muito bonito, mas não significa que o espírito necessita disso para atender às preces. Acreditamos que as festas realizadas em nome dos santos, é uma boa ocasião para a confraternização. Mas a doutrina espírita não estipula nenhum calendário festivo. Nem realiza festas e procissões.

Representar esses espíritos por imagens. O que o espiritismo diz?

A representação desses espíritos por imagens, vem também da igreja católica. Os santos por serem espíritos esclarecidos, bondosos, que deram testemunho de que são acima da matéria, não ficam presos a representações nem a imagens. Vamos lembrar que nenhum objeto tem força por si só. O que tem força é o seu pensamento. E se você acreditar que aquela imagem irá te ajudar irá registrar em sua mente que aquilo irá te salvar. Sendo assim, a cura, a bênção e o milagre virão, mas não pela imagem, e sim pela sua força mental.

Aspectos positivos nas imagens:

Uma pessoa ao olhar para a imagem de Jesus, ela toma um respeito pela imagem e pelo nome dele. Quando ela entra em um lugar que tenha a imagem de um santo, ela vai se policiar para não xingar, não falar coisas indevidas, não dispersar o assunto, não pensar em coisas que não são vinculadas a fé.

Existem espíritos nas igrejas?

Claro que tem espíritos nas igrejas. Lembre que Jesus disse: onde houver duas ou mais pessoas reunidas em meu nome eu me farei presente. Muitos católicos quando vão às missas rezam, pensam em coisas boas, tentam se auto melhorar. E como tal os espíritos se fazem presente. Aliás, em qualquer lugar onde houver pessoas os espíritos estão. Os espíritos vão às igrejas, abençoam as hóstias, dão passes naqueles que estão em sintonia com o bem. Por isso muitos se sentem bem indo a missas. Além disso, muitos buscam as igrejas para fazerem missas, corrente de orações a familiares e amigos falecidos. É claro que tem espíritos com grau de evolução baixo, que necessita de ver e sentir o calor das vozes em oração a ele. E é claro que esse espírito se sente melhor com tantas preces feitas com o coração.

Os espíritos, assim como todos nós podemos e devemos nos santificar, através de uma boa conduta, da perseverança na fé, em levar consolo e amor a todos que necessitam. Sem esperar ser santificado ou beatificado por qualquer pessoa encarnada. Dr. Bezerra de Menezes, o médico dos pobres, não foi santificado (certamente porque era espírita), mas seguiu ao Cristo, trabalhando no bem e em nome da caridade e da humildade.

Outro exemplo é o querido Chico Xavier, não foi aureolado por mãos humanas, e sim se auto iluminou, atingindo um nível de evolução altíssimo. Vamos irmãos que para os espíritos se “santificarem” não é necessário que nós os coloquemos em altares. Eles próprios se elevam pela sua moral e espiritualização. Não necessitam de que outras pessoas apontem e enumerem seus feitos para decidir se será ou não santificado. Outro assunto que merece nossa reflexão é a respeito das mitologias que envolvem alguns santos. Pois sabemos que algumas figuras jamais existiram.

É claro que respeitamos quem leva em consideração seu aspecto simbólico, assim como devemos nos respeitar e nos amar, pois é para isso que estamos aqui. Encontramo-nos neste planeta, não por acaso, e sim pela providência divina, que nos abre os caminhos do amor e da compreensão. Devemos amar incondicionalmente, buscando desenvolver o amor de Jesus Cristo em nossos corações.

Assim como Emmanuel, mentor de Chico, usava roupas romanas, porque se sentia bem. O espírito de um papa pode usar roupas sacerdotais. Assim como Joanna de Ângelis se plasma como freira. Vamos lembrar que, Chico Xavier em sua humildade, tinha imagens de santos. Não que ele as cultuava e adorava mas ele respeitava e gostava muito. Inclusive tinha muita fé em Nossa Senhora da Aparecida e Nossa Senhora da Abadia (padroeira da cidade de Uberaba-MG). Dr. Bezerra de Menezes, dizia que tudo o que ele fazia era em nome de Nossa Senhora. A doutrina espírita não usa imagens, mas não condena aqueles que usam. Um bom espírita não condena, apenas auxilia quando solicitado.

Fontes: https://alternativaespirita.wordpress.com  e  http://jovensdefe.com.br

Para saber mais sobre o assunto, assista:

O que são santos? Como devemos interpretá-los?

Comments

comments

Deixe seu comentário:


Clique aqui