TV Mundo Maior Dr. Adolph Fritz: Entrevista com Paulo Henrique de Figueiredo - TV Mundo Maior

Editorial

Dr. Adolph Fritz: Entrevista com Paulo Henrique de Figueiredo

Enviado em 5 de fevereiro de 2018 | Publicado por TV Mundo Maior

Dr. Adolph Fritz Frederick Yeperssoven ficou muito conhecido por ser o espírito que atua por vários médiuns realizando cirurgias físicas sem dores ou sangramentos e com a cura das respectivas doenças.

Dr. Fritz teria nascido entre as décadas de 1860 e 1870 na Polônia e criado na Alemanha desde sua infância. Formou-se médico pela Universidade de Berlim. Ele teria atuado na Primeira Guerra Mundial salvando vidas de soldados feridos em batalha. Seu desencarne aconteceu no final da guerra, por volta de 1918, quando as equipes médicas teriam sido atingidas por um tipo de bomba.

No Brasil seu nome ganhou destaque através do médium José Pedro de Freitas, conhecido como Arigó.E desde então vários médiuns relatam operar sob o comando de Fritz, como Rubens Faria Júnior, Edson Queiroz e Kleber Aran.

O escritor espírita e comunicador da Rádio Boa Nova e TV Mundo Maior, Paulo Henrique de Figueiredo, em suas pesquisas práticas teve a oportunidade em vários momentos de conversar com o espírito de Dr. Adolph Fritz. Em entrevista, Paulo acrescentou pontos interessantes sobre as cirurgias espirituais e pilares da medicina. Confira.

O que a Doutrina Espírita fala sobre o Dr. Fritz?

Em verdade o nome do Dr. Fritz começou a ser conhecido a partir do Arigó, que foi um médium extraordinário. Ele não era espírita e sim espiritualista, mas no momento que começou a se tornar público, e inclusive a sofrer perseguições, um grupo grande de pesquisadores espíritas como Herculano Pires e Jorge Rizzini se aproximaram, pesquisaram o fenômeno, constataram a veracidade e até o defenderam. Esse foi o momento inicial do Fritz no Brasil.

Por que vários médiuns recebem o espírito do Dr. Fritz?

Há uma coisa que ocorre toda vez que isso se torna público, gera uma comoção e também ocorre perseguição. Kardec já dizia: Quando uma coisa é verdadeira, torna-se séria a perseguição. Todos os médiuns que eu tive contato, quando fica público, acaba durando um tempo pequeno, porquê começa primeiro as multidões de pessoas, depois a exploração da mídia; aí começam as perseguições. Hoje existem vários médiuns que não atuam em público, eles atuam para diversas pessoas, mas não aceitam que vá para a mídia.

Mais de um espírito pode realizar este trabalho?

Após o Arigó, muitos outros médiuns começaram atuar no mesmo campo, que a gente pode chamar de mediunidade de efeitos físicos e não só mediunidade de cura. Quase todos eles são representados pelo espírito do Fritz, ou Hans. Quando é um médico alemão é normalmente o Fritz ou é o Hans. O que acontece é o seguinte, Fritz e Hans é como se falasse José aqui no Brasil. Então, em verdade, o espírito primeiro que trabalhava com Arigó escolheu um nome genérico, justamente para não se identificar, da mesma forma que o André Luiz. São grupos de espíritos especializados em cura usam a mediunidade para fazer a divulgação por meio dos médiuns do quanto eles ajudam nos processos críticos de saúde que são as cirurgias. Então esses grupos de espíritos adotam um nome, não importa qual seja. Se é sério, eles usam o mesmo nome, não necessariamente é um espírito só, apesar de que há um Fritz, que foi aquele do Arigó, que eu tive o contato com ele, conversando por meio de médiuns.

O que diz Kardec?

Segundo Kardec, nós temos várias formas de atuação sobre a saúde. O magnetismo animal, magnetismo espiritual, a homeopatia, a mediunidade de cura e a medicina comum; são os cinco pilares da medicina. E ele propõe que no futuro esses cinco pilares combinem, porque eles atuam de forma diferente, então eles são complementares e não concorrentes.
Os curadores foram já anunciados por Kardec, não necessariamente espíritas, então até naquela época o fenômeno ocorre independente de ser no meio espírita ou não. Então kardec noticiou, acompanhou e registrou os casos que ficaram famosos na época, inclusive ele foi visitar pessoalmente e verificar alguns deles.

Como comprovar a veracidade das cirurgias?

Tem que ter registro médico. Então teria que ter todos os pacientes, quantas vezes foram atendidos e o médico tem que dizer se a cura foi fora do normal. Por ingenuidade pode não estar havendo o fenômeno e as pessoas nem percebem. A única forma de saber é fazer os registros médicos com os rigores da ciência, então teria que ser médicos, inspirar um protocolo e registrar todas as intervenções e saber como chegou, como saiu e estatisticamente ver se vai ter o resultado, porque um caso ou outro não quer dizer nada, você não consegue identificar o que curou. Agora se estatisticamente o grupo atendido por aquela pessoa tem um resultado de cura maior que o já registrado na medicina comum, a gente teria um indício de que ali teria algo a mais. A gente sempre tem que levar em conta que em qualquer um desses casos também pode haver charlatanismo e pessoas de má fé em todos os campos da mediunidade que simulam o fenômeno.

Quais as diferenças de cirurgias espirituais para as realizadas por Fritz?

Existem os fenômenos que são explícitos que tem o corte e alguns que não tem.
A área da cura, segundo o espiritismo, é ampla porque tem várias coisas que têm que levar em consideração. Uma delas foi o que o Franz Anton Mesmer descobriu, que é a ação de um corpo saudável sobre um corpo doente. Então o passe foi na época de Kardec um instrumento de um tratamento que era chamado de magnetismo animal. O passe não era a cura, o passe era uma das coisas no tratamento e a ação do magnetismo animal é semelhante a ação homeopática. Então o remédio homeopático incita os sintomas no ciclo da cura e Mesmer descobriu algo semelhante. O passe magnético, que era aplicado de vinte minutos à meia hora, incita no paciente o processo da cura.
Quando Kardec começou a estudar esses fenômenos ele viu também que havia uma ação de um espírito bom sobre a pessoa doente, então ele atuava no perispírito da pessoa por sintonia.
Kardec vai explicar que qualquer intervenção que uma pessoa faz sobre outra, os dois podem estar combinados, ai ele vai classificar como uma terceira coisa. Então o magnetismo humano é comum, é fisiológico, o magnetismo espiritual também, agora a terceira coisa é a mediunidade de cura, é um dom, da mesmo forma que tem psicógrafo, a psicofonia. E como eu lhe falei, ela envolve efeitos físicos que permitem que os espíritos atuam no corpo dos outros materialmente.

Por que as pessoas não sentem dor nas cirurgias de efeitos físicos?

O médium de efeitos físicos exala uma substância, que na França o Richet deu o nome de ectoplasma. É uma substância fisiológica do corpo do médium que ele exala por todos os orifícios, olho, nariz, boca, e podem exalar e manter invisível ou pode ficar visível com uma aparência branca leitosa. Quando ele está visível, eles usam essa substância que está sempre ligada ao médium. Por exemplo, ele exala essa substância o bastante, e a raridade é o quanto consegue exalar, pode então torna a substância leitosa, o espírito em sintonia com o médium torna aquela substância com mais forma, daí que vem a materialização.
O que ocorre é o seguinte, alguns médiuns que tem essa propriedade ao invés de fazer uma materialização simplesmente ou um transporte eles usam isso para intervir no corpo. Então eles causam alterações fisiológicas usando esses efeitos físicos, eles então conseguem fazer com que a pessoa não tenha sangue, não sinta dor, então eles fazem intervenções na fisiologia da pessoa, no sistema nervoso para que afaste a dor e o sangramento. E também a precisão que eles podem não cortar, mas atuar dentro do organismo alterando algo que seja necessária, cortando um coágulo, cortando as artérias que levam sangue até o tumor, uma série de intervenções.

Qual o objetivo da Espiritualidade nessas cirurgias?

Eu fiz exatamente essa pergunta para o Fritz. Qual o objetivo? O objetivo não é substituir a medicina. O objetivo é primeiro despertar a atenção das pessoas da medicina. Segundo, atuar em pessoas que são desprezadas pela medicina.
Eu fui semana passada num médium de cura que faz intervenções físicas, ele faz cortes, e ele me chamou para ver uma paciente que ele estava curando, o Fritz, que ela tinha um tumor no pé do tamanho de um melão pequeno e ela foi simplesmente abandonada pelos médicos e todos que ela foi não deram continuidade e mandam procurar outro. Então quando ela chegou no Fritz ele começou a usar bisturi elétrico e intervenções espirituais e água magnetizada e vários recursos deles mesmo que já está regredindo o tumor e ele já estava com risco de gangrenar e já voltou a ter circulação, então voltou a ser um material orgânico vivo.

Bônus da Entrevista

A conversa que eu tive com o Fritz começou por um médium no Rio de Janeiro e acabou na Bahia. Foi incrível, eu comecei a conversar por meio de um médium com o Fritz no Rio de Janeiro, só que ai a gente não terminou a conversa e quando eu fui visitar um médium de cura na Bahia o Fritz virou para mim e falou: Olha, eu queria continuar aquela conversa com você. Eu parava, sabe quando você fica extasiado, o médium não sabe, ninguém sabe que eu conversei com você. Tudo bem, mas vamos continuar conversando. Foi uma situação absolutamente incrível.

Fritz me disse o seguinte: Não é nossa intenção substituir a medicina, nossa atuação não é uma alternativa a cura dos médicos, nós temos uma dupla intenção. Primeiro, chamar a atenção das pessoas para a questão de que existem espíritos, e eles atuam se relacionando com a gente. E a segunda questão fundamental é que os médicos podem ter ajuda dos espíritos, e eles tem mesmo sem saber.
Então Fritz contou também que essas grandes equipes de médicos espirituais atuam nos hospitais. Eles pedem para sempre fazer preces; familiares, as pessoas que vão ser operadas, porque isso facilita a nossa ajuda (Espiritualidade). Eles vão nos hospitais e auxiliam nas operações.
Muitas vezes têm médiuns de efeitos físicos nas proximidades que nem sabem que são médiuns e eles acabam se tornando auxiliares nas intervenções médicas. O Fritz me falou naquela ocasião que aos poucos os espíritos seja divulgado, que a espiritualidade seja compreendida e essa atuação deles, que é em paralelo, se torne uma operação em conjunto, que a medicina abrace a espiritualidade e todos possam ajudar no trabalho em conjunto.

 

Cirurgias Espirituais – Mundo Maior Repórter

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Imagem ilustrativa retirada de centroespiritualdradolphfritz.

*Este texto é de responsabilidade de seu autor. Não representa necessariamente a opinião da TV Mundo Maior.

Escrito por: Ricardo Guelfi de Souza

Estudante de Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi. Estagiário de Marketing na TV Mundo Maior.

Comments

comments

Deixe seu comentário:


Clique aqui