Editorial

Copa e Espiritualidade: Entrevista com o narrador Jota Jr.

Enviado em 8 de julho de 2014 | Publicado por TV Mundo Maior

O Mundial já está chegando ao fim, mas o clima ainda é de Copa, espiritualidade e muita expectativa. Aproveitamos este momento para um jogo rápido de perguntas e respostas com o narrador esportivo Jota Jr., da SporTV. Vamos saber dele qual a visão espírita diante deste mundial tão importante para o Brasil e para as seleções.

 

Carla Mendrot: 2014, Copa do Mundo no Brasil. Como estava o clima nos estádios?

Jota Júnior: Excelente o clima nos estádios. Muita energia boa. Desprendimento, descontração, alegria. Gostei do que senti.

CM: Você tem uma boa bagagem como narrador e conhecedor da doutrina espírita. Somando essas duas ferramentas, o que você mais pode aplicar no seu trabalho diante deste Mundial?

JJ: A aplicação com o embasamento da Doutrina é sempre que possível gotejar princípios da ética, educação e do respeito ao próximo. É utilizar o futebol para respingar ensinamentos e correções nos comportamentos. Sempre há uma maneira de sinalizar o que os bons Espíritos nos ensinam e nos orientam.

CM: Como você se prepara para os jogos?

JJ: A preparação é tudo em qualquer atividade. A boa preparação. Devemos nos municiar das pesquisas sobre o evento e alimentar o nosso espírito para os desafios do improviso. E é claro, pedir a proteção dos Amigos Maiores para os momentos difíceis da jornada. E eles estão sempre ao nosso lado.

jota jrCM: Você, assim como outros profissionais da área, estava inserido diretamente na Copa. Na sua opinião, como estava o campo vibracional nos estádios e entre as torcidas, já que o momento que antecedeu a Copa foi de manifestações e preocupações por conta dos brasileiros?

JJ: A Copa começou sob tensão. Foram alguns dias de expectativa e de autodefesa por parte de todos. Mas rapidamente o panorama mudou com a chegada dos estrangeiros e sua contagiante alegria. E com a bola rolando o sucesso veio com tudo. Bons jogos, muita emoção, a festa das arquibancadas, a energia foi excepcional. Até os pouco sensitivos mediam o tamanho da boa energia emitida pela galera.

 

Jota Jr, tem em seu currículo 45 anos de carreira e 9 Copas. Esta última, realizada em casa, faz o narrador contar um pouco mais sobre sua experiência neste e nos outros mundiais.

CM: Esta é a sua 9ª Copa. Teve um diferencial, por ser em solo brasileiro e por ter superado os momentos de conflitos que a antecederam?

JJ: Diria que em praticamente todas as Copas que fui houve apreensão antes delas começarem. Em 1978, os guerrilheiros argentinos ameaçaram a Copa. Repetiu-se em 82, na Espanha, com a oposição armada. Em 86, o México havia sofrido 6 meses antes um de seus maiores terremotos, quase destruindo a cidade. Em 90 e 94, tivemos Itália e USA alvos de possíveis atentados. Enfim, o mundo conturbado em que vivemos sempre ameaçou as Copas. E aqui no Brasil não foi diferente, mas para a nossa alegria tudo está correndo bem até o momento.

 

Para encerrar o bate-papo, Jota comenta sobre o impressionante trabalho da espiritualidade nesta Copa.
CM: Estamos na reta final. A espiritualidade colaborou para o bom desempenho deste grandioso e importante evento esportivo?

JJ: Não tenho dúvida disso. O que a Espiritualidade trabalhou no combate ao pessimismo foi algo impressionante. E seguiu trabalhando durante os jogos. Foi o para-raio dessa Copa. Mas ao mesmo tempo recolheu turbilhões de energias dos estádios para levar até locais necessitados. O povo, a torcida, contribuíram, é claro. Mas sob a batuta dos Amigos Espirituais, incansáveis amparadores do Planeta.

Comments

comments

Deixe seu comentário:


Clique aqui