TV Mundo Maior Animais no plano espiritual: sim ou com certeza? - TV Mundo Maior

Editorial

Animais no plano espiritual: sim ou com certeza?

Enviado em 25 de agosto de 2015 | Publicado por TV Mundo Maior

Não há dúvidas em que hoje vivemos “a falta de estudo, de observação, de meditação” e que pela “ignorância presunçosa permitiu o destaque do homem, classificando-o como um ser à parte da Criação.” Devo admitir que gostaria muito que essas palavras em aspas fossem minhas, mas são do ilustre Cairbar Schutel em seu livro Gênese da Alma.

Quando questionamos sobre a possibilidade da existência de animais no plano espiritual, a maioria das respostas são taxativas em dizer que são apenas projeções mentais, licantropia ou personagens de livros romanceados. Vamos analisar o que diz o Espírito da Verdade sobre espíritos que estagiam na fase de animalidade do lado de lá. Na questão 600 do Livro dos Espíritos, vemos que na própria pergunta “A alma do animal, sobrevivendo ao corpo, fica num estado errante como a do homem após a morte?” Kardec já se utiliza de “alma do animal” e na resposta temos “O Espírito do animal”, o que não nos resta dúvida através da leitura das questões 23, 134, 134a, 134b de que princípio inteligente e espírito pela semântica são sinônimos e que ao longo do Livro dos Espíritos nas citações sobre os animais 597a, 598, 599, 604a, 607a vemos que sim, animais são também espíritos e que sua alma sobrevive após a morte – quer aceitemos isso ou não.

Ainda sobre a questão 600, há duas palavras que devemos tratar de compreender que são ERRANTE e ERRATICIDADE. Espíritos na fase de humanidade são os únicos que são errantes, ou seja, que “podem pensar e obrar por sua livre vontade”. Os animais não possuem tal livre-arbítrio como mostra na questão 595 em que sua liberdade é “restrita aos atos da vida material.”, portanto não poderiam vagar livremente pelo plano espiritual.

Contudo, após seu desencarne, eles são “classificados e utilizados” pelos Espíritos incumbidos desta tarefa – ou seria apenas uma vantagem nossa de sermos socorridos pelos espíritos superiores? – quase que imediatamente, o que concluímos aqui que não reencarnam imediatamente como muitos acreditam e insistem em dizer, ou seja, em nenhum momento o Espírito da Verdade afirma que não existem animais na erraticidade, apenas assevera que não existem espíritos de animais errantes. Portanto, eles ficam sim em uma espécie de erraticidade.

Sobre os animais serem CLASSIFICADOS e UTILIZADOS, pela lógica, podemos compreender que aqueles que são incumbidos da tarefa de acolher os animais são Espíritos de Luz, para direcioná-los a determinados trabalhos, auxílio, aprendizado e/ou reencarne imediato dependendo de sua necessidade e grau evolutivo. Infelizmente muitos confrades espíritas não consideram os livros Cartas de Uma Morta, Nosso Lar, Os Mensageiros e tantas outras obras como provas em que há espíritos de animais no plano espiritual, contrariando a resposta do próprio Espírito da Verdade como vimos até aqui. Vejamos então em um livro muito conhecido e pouco estudado, Evolução em Dois Mundos, pelo espírito André Luiz em “Almas e Fluídos” e “Evolução e Cérebro” que ele diz respectivamente: “Plantas e animais domesticados pela inteligência humana durante milênios podem ser aí ACLIMATADOS e APRIMORADOS por determinados períodos de existência.” e “À maneira de crianças tenras, internadas em jardim de infância para APRENDIZADOS RUDIMENTARES, animais (…) acolhem A INTERVENÇÃO DE INSTRUTORES CELESTES, em regiões especiais, exercitando os centros nervosos.”

Concluo este texto com o prefácio do Evangelho Segundo o Espiritismo, onde é sempre tempo de mudar e analisar as mensagens do Alto da maneira que elas são, pela lógica e pelo amor. Afinal, o Espiritismo foi trazido pelos espíritOS e não pelos espíritAS: “São chegados os tempos em que todas as coisas hão de ser restabelecidas no seu verdadeiro sentido, para dissipar as trevas, confundir os orgulhosos e glorificar os justos.”

Assista o clipe da banda Sol de Outubro que nos deixa a mensagem que é sempre tempo de recomeçar!

Texto escrito por Ana Talavera:

photo

Publicitária, ativista e vegana, atua com projetos sociais nos Criativos do Bem. Trabalhou na ONG Instituto Nina Rosa – projetos por amor à vida, produzindo materiais educativos sobre Direitos Animais e Educação Humanitária. É aluna do curso de Espiritualidade dos Animais na ASSEAMA (Associação Espírita Amigos dos Animais), integrante da banda Sol de Outubro e Secretária de Comunicação da 1ª Assessoria do Departamento de Mocidade da União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo (DM/USE).

 

Comments

comments

Deixe seu comentário:


Clique aqui