Editorial

A abstenção alimentar animal é meritória?

Enviado em 14 de setembro de 2015 | Publicado por TV Mundo Maior

Pouco tempo atrás, saiu um comunicado na imprensa sobre a empresa multimilionária JBS, por serem responsáveis por diversas irregularidades contra seus funcionários. Como ignorar o descaso para com nossos irmãos humanos?

Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap XVII, o homem considerado de bem é aquele que se “interroga a consciência sobre seus próprios atos” e “toma a defesa do fraco contra o forte e sacrifica sempre seus interesses à justiça.” Seguindo este raciocínio de se privar em benefício do próximo, no Livro dos Espíritos, nas questões 720 e 724 Kardec questiona se privações voluntárias são meritórias e se a privação alimentar animal é meritória e pasmem: o Espírito da Verdade diz categoricamente que sim, se nos privarmos em benefício dos outros.

O documentário realizado pelo Repórter Brasil “Carne Osso” de 2011, reforça a dura realidade das pessoas submetidas a uma série de riscos nos matadouros como exposição constante a facas, serras e outros instrumentos cortantes; os incontáveis movimentos repetitivos, gerando graves lesões e doenças físicas; sem esquecer os graves danos psicológicos e emocionais por banalizarem a morte diariamente em uma escala inimaginável. Para concluir este quadro imoral, a Organização Internacional do Trabalho em 2014, alega que a pecuária é líder em trabalho escravo no Brasil com 80% dos casos. Logo, vemos que as nossas escolhas alimentares interferem não somente nos animais que são sacrificados impiedosamente para saciar um vício milenar, e sim de nossos semelhantes humanos merecedores de uma vida plena e digna tanto quanto nós temos direito.

Na Revista Espírita de Setembro de 1865, conseguimos compreender porque havia tanta resistência em discutir sobre os animais na época – quiçá falar de alimentação – pois tocava “em preconceitos há muito enraizados, e que teria sido imprudente chocar de frente, razão por que os Espíritos não o fizeram.” Graças a bendita Doutrina Espírita e seu cunho transformador, podemos encontrar direcionamentos claros sem nos escondermos atrás de justificativas egoísticas para que haja uma “nova era em que os homens cultivarão o solo da terra por amor e utilizar-se-ão dos animais com espírito de respeito, educação e entendimento.” através da fala carinhosa de Alexandre, mentor de André Luiz no livro “Missionários da Luz”, Cap IV psicografado por Chico Xavier.

*Este texto é de responsabilidade de seu autor. Não representa necessariamente a opinião da TV Mundo Maior.

Assista o documentário Carne Osso e veja os impactos da alimentação de origem animal para os humanos

Texto escrito por Ana Talavera:

photo

Publicitária, ativista e vegana, atua com projetos sociais nos Criativos do Bem. Trabalhou na ONG Instituto Nina Rosa – projetos por amor à vida, produzindo materiais educativos sobre Direitos Animais e Educação Humanitária. É aluna do curso de Espiritualidade dos Animais na ASSEAMA (Associação Espírita Amigos dos Animais), integrante da banda Sol de Outubro e Secretária de Comunicação da 1ª Assessoria do Departamento de Mocidade da União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo (DM/USE).

 

Comments

comments

Deixe seu comentário:


Clique aqui